Marcelo assume “a responsabilidade suprema” mas critica aspectos da gestão da pandemia

Presidente da República prepara-se para decretar estado de emergência “diferente, muito limitado e de efeitos preventivos”, tal como lhe pediu o primeiro-ministro. PS, PSD, CDS e PAN vão aprovar excepção constitucional que pode durar até à Primavera.

Foto
Marcelo e Costa acertaram as últimas agulhas sobre o novo estado de emergência LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

O Presidente da República prepara-se para decretar o estado de emergência nos próximos dias, nos exactos termos em que o primeiro-ministro lhe pediu: minimalista, de efeitos preventivos, mas que pode prolongar-se durante toda a pandemia, mas que ninguém quer venha a significar um confinamento geral como aconteceu entre Março e Maio.

Sugerir correcção