Há marcas portuguesas sustentáveis numa nova plataforma: Yao

A sigla remete para uma expressão em inglês “Young Adult Outfits”, a pensar num público mais jovem e cosmopolita que sabe fazer compras no formato digital.

Foto
Plataforma reúne mais de 25 marcas portuguesas DR

O objectivo é juntar numa só plataforma marcas portuguesas pautadas pela sustentabilidade, que sejam inclusivas e apoiantes da diversidade. Chama-se YAO (Young Adult Outfits) e disponibiliza online uma oferta de mais de 25 marcas portuguesas de roupa, calçado e acessórios para “jovens adultos entre os 16 e o 40 anos” e que permitam “a expressão pessoal de cada um”. Esse enfoque dado à individualidade é posto em prática no método de pesquisa dos produtos, já que estão apenas categorizados por tipos de roupa — como vestuário ou calçado —, sem distinção de género, mas que também pode ser especificado através das marcas criadoras.

Além disso, aposta-se na “comodidade” de tudo estar concentrado numa única plataforma, sendo que o cliente tem “a possibilidade de comprar um outfit completo sem ter de perder tempo a recorrer a várias lojas”, mantendo “a qualidade” como bandeira, referem os criadores da plataforma em comunicado.

Segundo os empreendedores Carlos Ribeirinha, Rita Dias, Joana Rodrigues dos Santos e Guiomar Teles — provenientes de áreas como a gestão, a comunicação e o design —, a YAO quer “ser uma plataforma para dar a conhecer o melhor que se faz em Portugal tanto cá como além fronteiras”. Quer-se um ponto de encontro através do qual “qualquer pessoa” possa descobrir “as peças certas para a sua identidade, para qualquer ocasião”.

As marcas são seleccionadas por critérios de qualidade e por serem “únicas”, sem esquecer que devem “respeitar os valores da YAO”, como a inclusividade, sustentabilidade e diversidade. Acrescentando que devem ser portuguesas.

A ideia não surgiu com a pandemia, mas esta veio “reforçar a oportunidade” de que “este era o momento certo” para o seu lançamento, não só “pela valorização que damos hoje em dia a marcas nacionais”, contam ao PÚBLICO, mas também devido “ao aumento da procura pelas compras online”. Uma vez que em Portugal se produzem “produtos de qualidade e cada vez mais surgem novas marcas com conceitos diferenciadores”, faltava criar “um ponto de encontro para dar a conhecê-las aos seus consumidores”, estejam eles dentro ou fora do país.

Feita a compra através do site, sejam produtos da mesma marca ou não, estes são depois enviados pela respectiva marca para a morada indicada pelo cliente.