“É preciso sobrepor o interesse colectivo aos interesses individuais”, defende Marcelo

Nas comemorações do 5 de Outubro, Presidente da República apela à “convergência no essencial” no combate às duas crises, a pandémica e a económica e social, mas sem “unicidade imposta”, muito menos ditaduras.

Marcelo apelou à "convergência no essncial"
Foto
Marcelo apelou à "convergência no essncial" LUSA/TIAGO PETINGA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou à mobilização de todos os portugueses no combate às “duas graves crises” em curso há mais de sete meses, a pandémica e a económica e social, mas sublinhou que nesta “luta” que vai durar ainda muito tempo, “é preciso sobrepor o interesse colectivo aos interesses individuais”, apelando a que se repudiem “compadrios, clientelas e corrupções”.