Insolvências de empresas disparam 64,5% em Agosto

Os distritos do Porto e de Lisboa destacam-se com o maior número de insolvências, mas o maior crescimento homólogo verificou-se em Angra do Heroísmo.

Sector da hotelaria e restauração teve mais 29,2% de insolvências face a 2019
Foto
Sector da hotelaria e restauração teve mais 29,2% de insolvências face a 2019 Rui Gaudencio

As insolvências de empresas em Portugal aumentaram 64,5% em Agosto face ao período homólogo, acumulando uma subida de 10,6% em 2020, enquanto as novas companhias criadas diminuíram 10,2% e quase 30%, respectivamente, divulgou esta sexta-feira, em comunicado, a Iberinform, filial da seguradora Crédito y Caución.

“Há um aumento de 64,5% nas insolvências em Agosto, com 199 empresas insolventes, mais 78 que no período homólogo de 2019. No acumulado do ano, o aumento é de 10,6%, com um total de 3342 insolvências, mais 319 que no mesmo período do ano passado.”

Os distritos do Porto e de Lisboa destacam-se com o maior número de insolvências – 836 e 697, respectivamente – o que representa uma subida de 13,1% em Lisboa e de 9,3% no Porto até Agosto, face ao ano anterior.

Os crescimentos homólogos mais significativos verificaram-se, contudo, em Angra do Heroísmo (50%), Castelo Branco (50%), Faro (43,2%), Viana do Castelo (39,5%), Évora (29,6%), Beja (29,4%), Ponta Delgada (27,8%), Madeira (25,4%) e Santarém (14,7%).

Em sentido inverso, registaram-se decréscimos das insolvências nos distritos da Guarda (-25%), Vila Real (-20%), Coimbra (-19,8%) e Viseu (-1,4%), mantendo a Horta um valor idêntico a 2019: quatro insolvências.

Por sectores, os dados da Iberinform apontam a “construção e obras públicas” como a única actividade que regista uma diminuição (de 4,4%) no número de empresas insolventes face a 2019.

Já os maiores aumentos encontram-se nas áreas de “telecomunicações” (66,7%), “hotelaria e restauração” (29,2%), “outros serviços” (20,5%), “electricidade, gás, água” (16,7%), “comércio por grosso” (15,7%) e “comércio de veículos” (12,5%).

No que se refere à criação de novas empresas, apresentou em Agosto uma quebra homóloga de 10,2%, diminuindo de 2920 em Agosto de 2019 para 2621 no mesmo mês de 2020 (menos 299 novas constituições), sendo que em termos acumulados o decréscimo foi de 29,9% (de 34.424 para 24.113 novas empresas).

A zona de Lisboa manteve a liderança neste indicador, com 7558 novas empresas, mas registou, ainda assim, um decréscimo de 33,6% face aos primeiros oito meses de 2019. Já o Porto registou 4334 novas constituições, menos 30,6% que no ano passado.

Segundo a Iberinform, todos os distritos apresentam decréscimo nas constituições, com as descidas mais significativas a registarem-se em Aveiro (-39,5%), Setúbal (-35,5%), Angra do Heroísmo (-33,3%), Ponta Delgada (-33,2%), Faro (-33%), Madeira (-31,8%), Leiria (-30,2%), Viana do Castelo (-28,2%), Coimbra (-27,2%), Guarda (-24,1%), Braga (-23,3%), Horta (-22,2%), Beja (-21,7%), Évora (-21,5%), Santarém (-20,6%), Viseu (-20,4%) e Castelo Branco (-19,3%).

Sugerir correcção