Multimédia

Cinquenta e sete anos depois de I have a dream, milhares marcharam para falar de racismo em Washington

A manifestação, que recebeu o nome Get Your Knee Off Our Necks ("tirem os vossos joelhos dos nossos pescoços"), teve lugar na capital dos Estados Unidos e aconteceu cinquenta e sete anos depois do célebre discurso de Martin Luther King Jr sobre igualdade.

Manifestantes seguram cartaz do movimento Black Lives Matter EPA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
Manifestantes seguram cartaz do movimento Black Lives Matter EPA/JIM LO SCALZO

Milhares de pessoas participaram esta sexta-feira numa manifestação em Washington D.C. para denunciar o racismo e a violência policial, tema que tem estado na ordem do dia nos Estados Unidos. Há cinquenta e sete anos, em 1963 e neste dia, Martin Luther King Jr discursava perante uma plateia e eternizava a frase "Eu tenho um sonho" (I have a dream) para pedir igualdade entre negros e brancos.

"Vocês podem matar o sonhador, mas não podem matar o sonho", disse o activista Al Sharpton à multidão que apareceu para a marcha intitulada de Get Your Knee Off Our Necks (tirem os vossos joelhos dos nossos pescoços).

Activistas e políticos discursaram durante o dia, incluindo a candidata democrata à vice-presidência Kamala Harris, que falou à multidão através de um vídeo. Os discursos tiveram vários pontos em comum: sublinharam a importância da votação nas eleições de Novembro, da necessidade do activismo que luta pelos direitos dos negros, das pessoas com deficiência e da comunidade LGBTI+ e impuseram-se contra a violência policial e o uso excessivo da força pelos polícias.

"De muitas maneiras, estamos hoje juntos na sombra simbólica da história, mas estamos a fazer história agora", disse Martin Luther King III, filho de Martin Luther King Jr. “Os americanos estão a marchar juntos, muitos pela primeira vez, e estamos a exigir uma mudança estrutural, real e duradoura”, acrescentou.

A marcha, que ocupou dezenas de metros desde o Lincoln Memorial (monumento em homenagem ao presidente norte-americano Abraham Lincoln) até ao Martin Luther King Memorial (monumento em homenagem ao activista) decorreu depois de meses de agitação racial desencadeada por dois incidentes que envolveram homens negros e a polícia. Este domingo, Jabob Blake foi baleado com sete tiros por um polícia em Kenosha (Wisconsin) e George Floyd foi sufocado por um polícia branco em Minneapolis (Minnesota) em 25 de Maio.

Homem balança bandeira do movimento <i>Black Lives Matter</i> no Lincoln Memorial, em Washington D.C.
Homem balança bandeira do movimento Black Lives Matter no Lincoln Memorial, em Washington D.C. Reuters/POOL
Manifestantes participam da marcha <i>Get Your Knee Off Our Necks</i> em Washington
Manifestantes participam da marcha Get Your Knee Off Our Necks em Washington Reuters/LEAH MILLIS
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA EPA/MICHAEL M. SANTIAGO / POOL
Manifestantes ouviram discursos de vários activistas e personalidade políticas
Manifestantes ouviram discursos de vários activistas e personalidade políticas EPA/MICHAEL M. SANTIAGO / POOL
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA EPA/MICHAEL M. SANTIAGO / POOL
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA Reuters/POOL
Lincoln Memorial, monumento em homenagem ao 16º presidente norte-americano Abraham Lincoln
Lincoln Memorial, monumento em homenagem ao 16º presidente norte-americano Abraham Lincoln Reuters/POOL
Centenas de pessoas reuniram-se para protestar contra o racismo e a violência policial nos EUA
Centenas de pessoas reuniram-se para protestar contra o racismo e a violência policial nos EUA EPA/MICHAEL M. SANTIAGO / POOL
O racismo e a violência policial nos EUA foram os temas do dia
O racismo e a violência policial nos EUA foram os temas do dia EPA/MICHAEL M. SANTIAGO / POOL
Local onde Martin Luther King Jr discursou em 1963 foi o palco da manifestação desta sexta-feira
Local onde Martin Luther King Jr discursou em 1963 foi o palco da manifestação desta sexta-feira EPA/SHAWN THEW
Manifestantes e activistas marcaram presença na marcha
Manifestantes e activistas marcaram presença na marcha EPA/SHAWN THEW
Martin Luther King III e a filha, Yolanda Renee King, discursaram durante a tarde
Martin Luther King III e a filha, Yolanda Renee King, discursaram durante a tarde EPA/JIM LO SCALZO
A vista do Lincoln Memorial
A vista do Lincoln Memorial Reuters/ANDREW KELLY
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA EPA/MICHAEL REYNOLDS
Centenas de pessoas "invadiram" capital dos EUA
Centenas de pessoas "invadiram" capital dos EUA Reuters/ANDREW KELLY
Balão que representa Donald Trump flutua na água enquanto os manifestantes se reúnem em frente ao Lincoln Memorial para a marcha <i>Get Your Knee Off Our Necks</i>
Balão que representa Donald Trump flutua na água enquanto os manifestantes se reúnem em frente ao Lincoln Memorial para a marcha Get Your Knee Off Our Necks Reuters/ANDREW KELLY
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA
Manifestantes protestaram contra o racismo e a violência policial nos EUA Reuters/ANDREW KELLY
Marcha reuniu dezenas de pessoas na capital dos EUA
Marcha reuniu dezenas de pessoas na capital dos EUA Reuters/TOM BRENNER
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln Reuters/LEAH MILLIS
Manifestante protesta dentro da fonte do Lincoln Memorial
Manifestante protesta dentro da fonte do Lincoln Memorial Reuters/TOM BRENNER
Marcha reuniu dezenas de pessoas na capital dos EUA
Marcha reuniu dezenas de pessoas na capital dos EUA Reuters/ERIN SCOTT
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln, na capital dos EUA
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln, na capital dos EUA EPA/JIM LO SCALZO
O pai de Jacob Blake, também chamado de Jabob Blake, discursou durante esta tarde. No domingo, o filho foi baleado sete vezes pela polícia nas costas
O pai de Jacob Blake, também chamado de Jabob Blake, discursou durante esta tarde. No domingo, o filho foi baleado sete vezes pela polícia nas costas EPA/JIM LO SCALZO
Marcha reuniu dezenas de pessoas depois de uma semana de protestos contra as acções da polícia norte-americana
Marcha reuniu dezenas de pessoas depois de uma semana de protestos contra as acções da polícia norte-americana EPA/JIM LO SCALZO
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln
Manifestantes reuniram-se junto ao monumento de homenagem a Abraham Lincoln Reuters/ANDREW KELLY
Manifestante junto da fonte do Lincoln Memorial
Manifestante junto da fonte do Lincoln Memorial Reuters/TOM BRENNER
Manifestantes seguram cartaz do movimento <i>Black Lives Matter</i>
Manifestantes seguram cartaz do movimento Black Lives Matter EPA/JIM LO SCALZO
Sugerir correcção