Lukashenko acena com reforma constitucional para tentar ganhar tempo

Abertura demonstrada pelo Presidente da Bielorrússia é contraditória, quando está cada vez mais isolado. Conselho Europeu reúne de emergência na quarta-feira, e espera-se para ver qual o passo seguinte de Vladimir Putin.

Foto
Lukashenko foi apupado e ouviu gritos de "vai-te embora" numa fábrica em Minsk Reuters/STRINGER

O Presidente da Bielorrússia, Aleksander Lukashenko, a atravessar a maior contestação de sempre ao seu regime desde que chegou ao poder há 26 anos, admitiu levar mudanças constitucionais a referendo e “entregar” algum do seu poder. Mas “não sob pressão e não por causa das ruas”.

Sugerir correcção