O que aconteceu em 1820 é uma referência para a esquerda radical

A chamada Revolução de 1820 não foi uma revolução, apenas um pronunciamento de vida efémera e a transformação que enterrou o Antigo Regime em Portugal só acontecerá dez anos depois. A abrir uma série que o PÚBLICO dedica aos 200 anos da Revolução Liberal, Maria de Fátima Bonifácio faz um retrato de 30 anos de instabilidade e violência que mudaram a face do país

Foto
Maria de Fátima Bonifácio publicou 18 livros sobre o período liberal Daniel Rocha

Devastado pelas invasões napoleónicas, com o rei e a corte exilados no Brasil, Portugal chega a 1820 numa crise profunda. A 24 de Agosto, um pronunciamento no Porto estreia um período de avanços e recuos que determinaria o fim do Antigo Regime e a instauração do regime constitucional. Para iniciar a reflexão que o PÚBLICO organizou sobre o período, Maria de Fátima Bonifácio, uma das maiores especialistas no estudo do liberalismo, deixa pistas sobre esse passado de turbulência e radicalização que impediu “um governo de força em Portugal até à República” e deixou marcas até aos nossos dias.