Investigação denuncia ligação da maior empresa de carne do mundo à desflorestação na Amazónia

A brasileira JBS transporta gado de uma fazenda na Amazónia ligada à desflorestação ilegal.

Foto
Uma fazenda em Mato Grosso terá usado os serviços de transporte da JBS para transferir gado para outra empresa com “ficha limpa” Nuno Ferreira Santos

A brasileira JBS, a maior empresa de carne do mundo, transporta gado de uma fazenda na Amazónia ligada à desflorestação ilegal, apesar de se ter comprometido a erradicar todas as relações com esta prática na sua cadeia de fornecimento.

A descoberta resultou de uma investigação conjunta da Repórter Brasil, do The Bureau of Investigative Journalism e do jornal britânico The Guardian, que refere que esta é a quinta vez este ano que surgem alegações que ligam a empresa a fornecedores implicados na desflorestação ilegal.

Uma fazenda em Mato Grosso terá usado os serviços de transporte da JBS para transferir gado para outra empresa com “ficha limpa”, que depois abastecia a JBS, lê-se na investigação. Fotografias captadas por funcionários mostram o transporte na fazenda com área embargada, onde a pecuária não é permitida.

A falta de monitorização dos fornecedores indirectos é um dos principais obstáculos no combate à desflorestação na pecuária da Amazónia, explica a investigação. Em resposta à Repórter Brasil, a JBS referiu que não tem acesso a informação adequada para fazer o rastreio deste tipo de fornecedores.

“A empresa esclarece que o serviço de logística e transporte fornecido e executado de forma independente deve atender às mesmas políticas de sustentabilidade da empresa, incluindo o bloqueio das fazendas que não estejam em conformidade com essas políticas”, diz a JBS na resposta.