Fisco validou 257 milhões em créditos fiscais a bancos e rejeitou 121 milhões

Entre 2016 e 2019, seis bancos pediram a conversão de activos por impostos diferidos em créditos tributários num total superior a mil milhões. Fisco inspeccionou 11 processos e está a verificar oito.

Foto
A CGD fez o maior pedido único, mas, somados, os quatros pedidos do Novo Banco são maiores, de 580 milhões Miguel Manso

O Novo Banco, o Haitong (o antigo Banco Espírito Santo de Investimento), o banco Efisa e o Bison Bank (o antigo Banif – Banco de Investimentos) receberam luz verde do fisco para converterem em créditos tributários 257 milhões de euros de “activos por impostos diferidos” referentes a anos fiscais desde 2016. Os processos de inspecção aconteceram na Unidade dos Grandes Contribuintes (UGC) e ainda há outros em curso.