A Música Portuguesa, à Janela, a Gostar Dela Própria: Natália Paulo - Paisagem sonora de amassar o pão

O Rancho Folclórico da Mendiga levou-nos a gravar a Natália Paulo a amassar o pão, para o comermos depois ao lanche, fechando o ciclo. Enquanto, maravilhado, assistia ao processo de alquimia milenar, pensava que podia dançar horas com aquele som: bastava transformar um bocadinho e até o podia passar numa discoteca. Mas a amassar o pão, o corpo inteiro balança e dança, tal como o rancho que me trouxe a ela ou numa discoteca. Tudo são ciclos, repetições.

Foi também aqui, em Porto de Mós, que a Marisa Barroso começou um trabalho incrível de salvaguarda das danças, indo aprender as músicas e os passos, registando-os num processo de notação coreográfica, para depois os ensinar a outras pessoas. As danças a ganhar outras vidas. Num mundo ideal, onde o investimento na cultura é feito de outra forma, todos estes processos eram integrados. Com as minhas gravações criavam-se outras danças para a discoteca, mostrando também as do rancho, que a Marisa ia ensinar a outros públicos. Tudo integrado no mesmo ciclo, tal como o pão que iremos comer depois de sair do forno. E assim fazemos o auto-estudo e o auto-conhecimento necessários para transformar aquilo que é da tradição oral num produto de consumo cultural

Em tempos de isolamento social devido ao surto do novo coronavírus, Tiago Pereira, fundador do projecto A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, começou a convidar artistas de todo o país a filmarem-se a tocar uma canção — é A Música Portuguesa a Gravar-se a Ela Própria. Agora também os filma à janela. O P3 partilha regularmente estes vídeos

Sugerir correcção