DJ Avicii vai ter um museu na Suécia

Avicii alcançou fama mundial com faixas como “Wake Me Up”, “Hey Brother” e “Sunshine”, que co-produziu com David Guetta e foi nomeado para os Grammys em 2012.

impar,homenagem,musica-electronica,abba,musica,suecia,
Foto
Bergling foi encontrado morto em Abril de 2018. Tinha 28 anos Reuters/Eduardo Munoz

Estocolmo, a cidade que viu nascer Tim Berling, vai ter um museu em sua honra. O jovem DJ de música electrónica ficou conhecido como Avicii e o espaço será num novo centro de cultura digital. A abertura está prevista para o próximo ano, anunciaram os fundadores na terça-feira.

Avicii alcançou fama mundial com faixas como “Wake Me Up”, “Hey Brother” e “Sunshine”, que co-produziu com David Guetta e foi nomeado para os Grammys em 2012. Bergling foi encontrado morto em Omã em Abril de 2018, aos 28 anos. Então, a família declarou que lutava contra a depressão e sentia que "não podia mais continuar”.

O museu chamar-se-á Avicii Experience e será instalado no Space, um novo centro de cultura digital que será inaugurado no Verão de 2021. Trata-se de um projecto conjunto da Space, do Pophouse Entertainment Group e da Tim Bergling Foundation, que foi criada pelos pais do músico Klas Bergling e Anki Lidén para apoiar a consciencialização para a saúde mental.

Os visitantes poderão ouvir algumas músicas inéditas de Bergling e ver fotografias e recordações, revela Per Sundin, chefe-executivo da Pophouse Entertainment, dona do museu dos ABBA, também em Estocolmo. “Conheceremos a história de vida de Tim, do seu quarto de criança, onde jogava World of Warcraft com os seus amigos, até às suas primeiras músicas e demos”, acrescenta.

A presidente da Câmara de Estocolmo, Anna Konig Jerlmyr, disse à Reuters que espera que o museu tenha um papel de alerta e de diálogo sobre saúde mental e prevenção do suicídio.

Avicii, cujo sucesso revolucionário “Levels” foi nomeado pela Billboard como uma das 100 músicas para definir os anos 2010, anunciou que se afastaria da música e das digressões em 2016, mas continuou a trabalhar. “Estamos convencidos de que o que Tim fez durante o seu curto período de vida teve um impacto enorme e ainda tem”, conclui Sundin.

Sugerir correcção