A ficção portuguesa chegou à Terra Nova

Tirando um filme escrito por um acólito do regime salazarista, a faina maior era um pesqueiro quase inexplorado no cinema e na televisão. Até que neste 2020 nos chegaram um filme de Artur Ribeiro, que a covid-19 adiou, e uma série realizada por Joaquim Leitão, que esta quarta-feira se estreia na RTP1.

terra-nova,joaquim-leitao-,bacalhau,rtp,televisao,culturaipsilon,
Foto
Pedro Lacerda é Albino, o marreco, pescador caído em desgraça DR

Quando o pescador Artur Braga contou ao médico António Martinho do Rosário, no seu jeito roufenho e salpicado de palavrões, a forma como sobrevivera, dias à deriva num bote, ao naufrágio do navio João Costa, em 1952, não imaginaria que estava a ajudar o maior dramaturgo português do século XX, Bernardo Santareno, a criar Albino, uma das personagens fulcrais da peça O Lugre. Em ano de centenário do nascimento do médico-escritor, a RTP1 estreia esta quarta-feira uma série que se inspira na sua obra e nas personagens daquele navio sem nome, no qual cabiam uma frota e um país. Escrita por Artur Ribeiro e Nuno Duarte, e realizada por Joaquim Leitão, Terra Nova é a ficção portuguesa a arriscar uma viagem por mares raramente navegados.