Torne-se perito

Constitucional confirma (pela segunda vez) coima de 3,7 milhões a Ricardo Salgado

Acórdão, emitido este mês, mantém impedimento ao antigo líder do BES de exercer funções em órgãos sociais de instituições de crédito e financeiras durante uma década. Sanção a Morais Pires também foi validada uma vez mais, no valor de 350 mil euros

Ricardo Salgado vê recusado um novo pedido de incostitucionalidade na decisão do Banci
Foto
Ricardo Salgado vê recusado um novo pedido de inconstitucionalidade de condenação LUSA/PAULO CUNHA

O Tribunal Constitucional rejeitou o segundo recurso apresentado por Ricardo Salgado, em relação à coima única de 3,7 milhões de euros aplicada pelo Banco de Portugal, no primeiro de quatro processos de contra-ordenação. O líder histórico do antigo Banco Espírito Santo (BES) está ainda proibido de exercer funções em órgãos sociais de instituições de crédito e financeiras nos próximos dez anos.