violencia-domestica,tribunais,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
violencia-domestica,tribunais,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
violencia-domestica,tribunais,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
violencia-domestica,tribunais,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Reportagem

Violência doméstica: há festas que acabam em mais uma agressão

Um jovem consumidor de droga, um alcóolico reformado e um alcóolico de meia-idade. Casos em que os consumos “revelam” algo que já existia. Peritos analisam efeitos de substâncias no comportamento. Perfis de agressores variam. Entre Setembro e Março, o PÚBLICO assistiu a vários julgamentos de violência doméstica. Terceiro capítulo da série Violência Doméstica no Banco dos Réus.

Drogas e álcool estão muitas vezes associados a violência doméstica. Hoje relatamos três casos em que os agressores consumiam: dois jovens e um reformado. Nos três, houve uma ocasião festiva que descambou em mais um episódio de agressão. Num dos julgamentos, a procuradora do Ministério Público deixa um raspanete à vítima por ter ficado na relação durante tanto tempo: “Foi um imbróglio sustentado pelo arguido e pela mulher. É a degradação total do conceito de família.”