Espero amanhã sair: quando duas irmãs se juntam para cantar a quarentena

Motivadas pelo muito "tempo livre" e pelo facto de estarem ambas em casa, as irmãs Ana Lua Caiano e Joana Caiano criaram o projecto Rua em Quarentena para unir as suas duas paixões: a música e o cinema. Espero amanhã sair estreia-se no P3.

São irmãs e são artistas. Forçadas a estar em casa, em Lisboa, por causa da pandemia de covid-19, Ana Lua Caiano, de 20 anos, e Joana Caiano, de 19 anos, aproveitaram a quarentena para fazer canções e vídeos a quatro mãos.

"Comecei a escrever músicas porque sentia necessidade de reflectir acerca do que estava a acontecer, foram surgindo histórias", explica ao P3 Ana Lua, cantora e compositora. Quando Joana, realizadora e editora de vídeo, voltou de Inglaterra, onde está a estudar, a "vontade de fazer uma curta-metragem" alinhou-se com o que a irmã andava a criar. "Pensámos que, se calhar, podíamos juntar as nossas ideias e conjugar o nosso tempo livre para fazer um projecto em conjunto." Juntaram dois mais dois e assim surgiu o colectivo Mindinho e o Rua em Quarentena.

"Uma coisa que sempre quis experimentar era conjugar a música tradicional, utilizando as vozes, com a música electrónica, utilizando sintetizador", diz Ana Lua. Ao mesmo tempo, recorreu ainda a objectos do dia-a-dia, "como fitas métricas ou máquinas fotográficas", para produzir sons.  Já para o vídeo, Joana explica que valoriza muito a cor e a simetria: "Especializo-me em direcção de fotografia então ligo muito ao visual. Inspiro-me sempre nos mesmos artistas, como Jean-Pierre Jeunet, Jean-Luc Godard ou Wes Anderson."

Com o projecto Rua em Quarenta, querem tentar "transmitir através da arte a sensação de vazio e de medo" que a pandemia lhes trouxe. O quinto vídeo musical, que se estreia no P3, chama-se Espero amanhã sair e não podia estar mais alinhado com o sentimento comum — afinal, quem não espera também amanhã sair? 

Sugerir correcção