De Braga a Santiago de Compostela, o caminho é agora em guia ilustrado

Foi lançado um livro de bolso com informação sobre todo o património que se encontra ao percorrer o Caminho da Geira e dos Arrieiros.

fugas,patrimonio,braga,religiao,turismo,espanha,
Foto
Nelson Garrido

Começou a ganhar forma em Outubro mas só este mês foram impressos os primeiros exemplares, a pensar nos peregrinos que, “no pós-pandemia”, queiram percorrer o Caminho da Geira e dos Arrieiros e descobrir mais sobre o património histórico, cultural e natural que se abeira do trilho aos longo dos 240km que ligam Braga a Santiago de Compostela.

“Era uma necessidade apontada por muitos caminhantes, já que sobre a grande maioria (igrejas, pontes, alminhas e outros) existe informação na Internet, mas não há em cartazes informativos nos próprios lugares”, aponta Carlos de Barreira, co-autor do guia e presidente da associação espanhola Codeseda Viva.

O livro de bolso, Caminho de Santiago da Geira e dos Arrieiros - Guia visual comentado do património cultural e natural, é composto por 88 páginas e inclui 117 fotografias e textos informativos sobre 50 igrejas, 12 pontes, 12 cruzeiros e alminhas, sete rios e outros elementos que se encontram no itinerário, como paços senhoriais e cruzeiros.

“São também abordados os miliários da Geira Romana e outros aspectos relacionados com o caminho, como o vinho de O Ribeiro, os arrieiros ou o culto de São Roque”, acrescenta Carlos de Barreira em comunicado.

PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
Fotogaleria
DR

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja a 28 de Março de 2019, “data em que o delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado” onde é afirmado que o traçado cumpre “as condições de outros caminhos de peregrinação”, concedendo a Compostela a quem o percorrer. Segundo o comunicado, está agora em curso o processo de homologação do itinerário pelas entidades civis.

Este é um trilho “muito difícil”, com uma variação de altitude que vai dos 30 a mais de 1000 metros de altitude, idealmente percorrido em dez etapas e apenas aconselhável a quem já tenha alguma prática e domina a orientação por GPS, lê-se no site.

Segundo Carlos de Barreira, que assina a obra em co-autoria com Jorge Fernández, coordenador da investigação sobre este itinerário jacobeu e igualmente membro da associação Codeseda Viva, a ideia de criar um livro ilustrado sobre o caminho já existia “há muito tempo”, mas começou a ganhar forma em finais de Outubro do ano passado, “quando terminou a temporada de chegada de peregrinos”.

Foi colocado à venda na loja online Amazon em Janeiro (custa 14,14€) e os primeiros exemplares impressos datam de 3 de Maio. Está publicado apenas em galego. “Devido ao trabalho que pressupõe e o tempo que leva a paginar um livro com tantas fotografias, não pensamos em publicá-lo noutros idiomas”, refere o autor. A escolha do galego, aponta, teve como intenção “poder ser entendido pelos portugueses e espanhóis”.

De acordo com o comunicado, a Compostela foi entregue a 367 peregrinos que fizeram este caminho no ano passado, a grande maioria portugueses (80%), mas também italianos, suíços, franceses, brasileiros, polacos e holandeses. No entanto, a associação Codeseda Viva estima que para além destes registos oficiais, cerca de 850 pessoas já terão feito o Caminho da Geira e dos Arrieiros.

Sugerir correcção