Torne-se perito

Navio de bandeira portuguesa atacado no Benim. Oito tripulantes estão desaparecidos

Ministério do Mar confirmou ao PÚBLICO que não há tripulantes de nacionalidade portuguesa envolvidos. Ataque ocorreu na madrugada de sábado para domingo e presume-se que os desaparecidos tenham sido feitos reféns.

Foto
Foto de arquivo de uma operação das autoridades francesas contra a pirataria STEPHANE DE SAKUTIN/AQRUIVO

O navio de bandeira portuguesa Tommi Ritscher foi atacado na madrugada de sábado para domingo. Os piratas usaram uma lancha rápida para abordar o navio e conseguiram subir a bordo, explica o Ministério do Mar numa nota informativa enviada ao PÚBLICO. 

Das 19 pessoas a bordo — maioritariamente de nacionalidade filipina —, 11 tripulantes conseguiram ficar em segurança, enquanto oito estão desaparecidos. Quanto a estes, o Ministério do Mar presume que tenham sido “constituídos como reféns” dos piratas. No momento do ataque, o navio estava a 2,2 milhas náuticas (cerca de quatro quilómetros) do porto de Cotonou (Benim).

“Tratando-se de um navio com pavilhão português, o assunto está a ser acompanhado pelas autoridades portuguesas, nomeadamente pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, que estão em contacto com o Estado costeiro onde o incidente ocorreu. O Ministério do Mar, liderado por Ricardo Serrão Santos, encontra-se igualmente a acompanhar os desenvolvimentos desta acção de pirataria em coordenação com as demais entidades nacionais envolvidas”, explica a nota informativa do Ministério do Mar.

Pelo facto de a abordagem ter ocorrido dentro do mar territorial do Benim, cabe às autoridades desta nação africana a coordenação da resposta a esta situação.

Sugerir correcção