Da tradição à novidade, no tecer das vozes

Juntaram-se em 2015 e lançam este ano o seu primeiro disco: Sofia Adriana Portugal, Susana Quaresma e Tânia Cardoso são Maria Monda, três vozes a mondar sons em homenagem à Mãe-Terra.

Foto
André Alves & Thays Peric

Já as ouvimos em vários palcos, em concertos próprios ou em projectos a que se foram juntando, como De Viva Voz (2016), Archipelagos — Passagens (disco e espectáculo de Amélia Muge e Michales Loukovikas, 2017) ou o recente Ciclo Pharmácia Amália, no CCB, em Lisboa, onde foram apresentando Sou filha das ervas até ser interrompido pela pandemia. Mas só agora, cinco anos após a fundação do grupo, as Maria Monda se estreiam em disco, com um CD que na capa ostenta unicamente o seu nome, aposto a um biombo de “círculos órficos” da artista plástica Carla Rebelo, inspirados nos de Sonia Delaunay.

Sugerir correcção
Comentar