Nasceu a primeira ditadura da UE. Parabéns aos pais!

O coronavírus foi meramente o pretexto para Orbán fazer o que sempre quis, o veículo onde Orbán pendurou os seus planos antigos de consolidação do poder.

Com a notícia de que o primeiro-ministro Viktor Orbán, da Hungria, conseguira fazer passar um estado de emergência por tempo indeterminado que lhe dá plenos poderes para governar por decreto e alterar leis aprovadas pelo Parlamento, pode levar para a prisão por cinco anos aqueles que divulgarem “fake news” (conforme determinado pelo governo) ou criticar as medidas do governo, incluindo estas, e que suspenderá o Parlamento e adiará eleições enquanto o período de emergência durar (ou seja, enquanto Orbán quiser) houve muito quem declarasse que a democracia húngara acabara de ser a primeira vítima do coronavírus. Isto é claramente inexato. Neste caso, não é o coronavírus que têm a culpa. O coronavírus foi meramente o pretexto para Orbán fazer o que sempre quis, o veículo onde Orbán pendurou os seus planos antigos de consolidação do poder.