Compra de carros caiu 56,7% em Março

Dados da ACAP mostram que a compra de ligeiros desceu abruptamente face ao mês homólogo de 2019.

,Pneu
Foto
Nelson Garrido/Arquivo

A indústria automóvel está parada em todo o mundo devido à pandemia de covid-19 e a Ásia é a única região que ainda produz carros. Na compra de veículos, o cenário é idêntico, no que diz respeito a Portugal, onde o negócio também travou a fundo. Os dados e Março mostram que em termos homólogos se venderam menos 14.300 ligeiros de passageiros, o que representa uma quebra de 56,7% face a Março de 2019.

O total de ligeiros de passageiros vendidos ficou em 10.596, contra 24.900 de Março de 2019. Isto reflecte a retracção nas famílias mas também nas empresas, sobretudo as rent-a-car e do turismo, que asseguram uma parte substancial da compra de veículos novos em Portugal.

Analisando a variação em cadeia, Março regista uma quebra de 47,7% nos ligeiros de passageiros face a Fevereiro. É uma descida de 20.263 carros vendidos no segundo mês deste ano para os 10.595 comprados em Março.

Em Fevereiro, o mercado tinha crescido 5% em termos homólogos. 

Somando as compras em todos os segmentos (incluindo comerciais ligeiros e total de pesados), a quebra global de mercado em Março é de 56,6%, também em termos homólogos, com o segmento dos ligeiros de passageiros a contribuir mais do que todos os outros para esta descida a fundo.

Em cadeia, a descida no mês que agora terminou foi de 46,2% face a Fevereiro, uma queda 23.038 para 12.399 veículos,

Os dados de Março, que acabam de ser revelados pela ACAP, permitem concluir que o primeiro trimestre de 2020 se saldou por uma quebra de 24%, em termos homólogos, com maior contributo percentual dos pesados de mercadorias, que perderam 32,4% de vendas.

Sugerir correcção