Cinema

Festival Curtas Vila do Conde adiado para Outubro

Um dos mais importantes e antigos festivais de cinema do país antecipou-se a semanas de incerteza e avançou já para um regresso no Outono. Programação divulgada em Junho.

Foto
Paulo Pimenta

Mais um festival adiado devido à pandemia causada pelo novo coronavírus: o Festival Curtas Vila do Conde, que deveria realizar-se entre 11 de 19 de Julho, vai ter lugar apenas em Outubro, anunciou a organização esta segunda-feira.

A 28.ª edição do Curtas Vila do Conde torna-se assim o caso mais recente de um evento cultural a mudar as suas datas de realização devido à covid-19, num panorama em que o sector da cultura tenta adaptar-se à incerteza trazida pela doença e pelas medidas de contenção a que tem obrigado. “Incerteza” é precisamente a palavra escolhida pela organização do Curtas, histórico festival de cinema dedicado à curta-metragem, para encetar o anúncio que coloca nos primeiros dias de Outubro este evento: a organização decidiu antecipar-se às próximas semanas de indefinição, diz, e decidir já que a 28.ª edição começará dia 3 e decorrerá até 11 de Outubro.

“Devido a esta alteração, as novidades sobre os conteúdos da programação do evento serão apenas divulgadas a partir do mês de Junho”, adiantam ainda, garantindo que se mantêm as suas parcerias institucionais e privadas.

A condizer com o discurso que também esta segunda-feira a organização do festival de música Primavera Sound Porto e da promotora de concertos Amazing Events produziram em torno de uma ideia de retoma e de manutenção de confiança nos meses vindouros, os responsáveis do Curtas sublinham: “É importante para nós começar a pensar num caminho de regresso, e por isso continuaremos a trabalhar para uma nova edição do festival, ainda que numa altura diferente do ano. Esperamos, assim, acompanhar um recomeço que passe também pelo regresso ao cinema como um local de encontro, num festival que sempre foi uma celebração da cultura e da comunidade”.

Desde 1993, o Curtas Vila do Conde reúne anualmente cineastas portugueses e estrangeiros e serve tanto de montra ao estado da arte nacional como de mostra de novos talentos. A cada edição, reúne cerca de 20 mil espectadores, e tem trazido a Portugal alguns dos nomes mais importantes do cinema e das artes, de Arto Lindsay a Todd Solondz.

Este adiamento, no mesmo dia em que foram também anunciadas novas datas para o festival musical Primavera Sound, segue-se a outros no meio cinematográfico. Foi o caso do IndieLisboa, que decorreria em Abril e foi adiado para nova data a anunciar, mas também do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin), no mesmo mês, ou ainda neste mês de Março da edição anual do Festival de Animação de Lisboa - Monstra. Pelo caminho ficou também a 13.ª Festa do Cinema Italiano e, no mesmo sector do cinema, assinala-se ainda a paralisação da exibição comercial - também sem data de regresso anunciado.

Sugerir correcção