Não se esqueça: a hora muda na madrugada deste domingo

Em plena pandemia de covid-19, os relógios mantêm a sua rotina e devem ser adiantados 60 minutos na madrugada de sábado para domingo. Proposta europeia de abolir a mudança horária continua em aberto e os relógios continuarão a ser acertados até ao final de 2021.

2020 ???? ?? ?? ??? ???
Foto

De sábado para domingo, entra-se no horário de Verão e os relógios adiantam uma hora: à 1h passam a ser 2h e, nos Açores, à meia-noite os ponteiros são adiantados para a 1h – “perde-se” uma hora. A próxima mudança da hora acontecerá daqui a sete meses, a 25 de Outubro.

Ainda que a proposta europeia de abolição da mudança horária continue em aberto, há uma directiva europeia que estabelece o sistema bi-horário, em vigor até 2021. Até ser tomada uma decisão, há a certeza de que os relógios continuarão a ser acertados até ao final do próximo ano, nos domingos de 28 de Março e de 31 de Outubro de 2021.

Depois de a Comissão Europeia ter proposto em 2018 o fim da mudança da hora e de o Parlamento Europeu ter concordado, falta ainda saber a posição do Conselho da União Europeia – que, em articulação com o Parlamento, é a peça-chave para tornar a decisão definitiva. Só então se decidirá se a mudança horária será mesmo abolida, o que obrigaria Portugal a escolher para sempre ou o horário de Inverno ou o de Verão, ou se o país poderá manter o regime bi-horário actual. No ano passado, o Governo português garantiu que iria manter a sua “posição assumida” de mudar a hora duas vezes por ano, com base num relatório do Observatório Astronómico de Lisboa (a entidade competente nesta matéria).

O Conselho da União Europeia ainda não tomou uma decisão formal e não tem novidades sobre o tema, disse fonte do gabinete de comunicação ao PÚBLICO nesta sexta-feira. O tema foi discutido pela última vez em Dezembro e “muitos Estados-membros indicaram que precisavam de ter acesso a um estudo de impacto por parte da Comissão Europeia antes de tomarem as suas decisões”. Outro dos assuntos abordados em Dezembro foi “a necessidade de haver coordenação entre países vizinhos para evitar um emaranhado de zonas horárias diferentes”.

Desde 2001 que os Estados-membros da União Europeia são obrigados a mudar a hora legal duas vezes por ano: a primeira no último domingo de Março e a segunda no último domingo de Outubro.

A pandemia do novo coronavírus fez com que muitas das reuniões agendadas do Conselho fossem canceladas, adiadas ou feitas por videoconferência. Não se sabe ainda se o tema voltará a ser debatido no Conselho de Transportes de Junho, já que os assuntos em cima da mesa só ficarão definidos uma semana antes, em Maio.

Sugerir correcção