Jardim Gonçalves perde dois terços da pensão milionária do BCP

Tribunal da Relação de Lisboa contrariou decisão que tinha mantido inalteradas as condições da reforma do antigo presidente do banco, que ascendiam a 175 mil euros. Jardim Gonçalves fica também sem direito a reembolso de regalias.

Foto
NUNO FERREIRA SANTOS

O BCP vai deixar de pagar a Jorge Jardim Gonçalves parte substancial da pensão de 175 mil euros que este recebia mensalmente, por decisão do Tribunal da Relação, que deliberou ainda a devolução ao banco, pelo ex-presidente, dos montantes atribuídos desde 2008, quando houve ajustamentos salariais na comissão executiva.