Torne-se perito

Varoufakis entrega gravações de reuniões do Eurogrupo ao Parlamento grego

Antigo ministro das Finanças disse esperar que conteúdo fosse passado aos deputados gregos. Presidente do Parlamento diz que os deputados não têm de “arcar com as responsabilidades” de Varoufakis.

Foto
Varoufakis, numa reunião do Eurogrupo Francois Lenoir/REUTERS

O antigo ministro das Finanças Yanis Varoufakis entregou esta sexta-feira ao presidente do Parlamento grego um envelope contendo gravações que fez das suas reuniões do Eurogrupo durante o auge da crise da dívida, após a eleição do então primeiro-ministro de esquerda radical Alexis Tsipras, no início do 2015, segundo o diário Kathimerini.

Durante o primeiro semestre de 2015, Varoufakis liderou uma estratégia de risco para tentar obter melhores condições num acordo para um novo empréstimo à Grécia, que culminou com o referendo no Verão de 2015 em que ganhou o “não” ao acordo negociado com os credores – e foi perante a recusa de Tsipras em cumprir este “não” que Varoufakis se demitiu.

Desde então, o antigo ministro das Finanças fez o retrato de um Eurogrupo que não viu nem como muito racional nem como democrático, publicando um livro, Comportem-se Como Adultos: A Minha Luta Contra o ‘Establishment’ na Europa (Ed. Marcador), que deu origem a um filme de Costa-Gavras, com base nas reuniões que, revelou, tinha gravado secretamente.

As regras do Eurogrupo não impedem gravações dos encontros dos ministros das Finanças dos países da zona Euro, especifica o diário grego, desde que estas sejam mantidas confidenciais.

Varoufakis disse que ao entregar as gravações esperava que o presidente do Parlamento, Kostas Tasoulas, passasse o seu conteúdo aos deputados.

Tasoulas disse que não tinha qualquer intenção de o fazer: “O Parlamento não vai arcar com as responsabilidades” do antigo ministro, declarou, segundo o Katimerini.

Varoufakis é deputado pelo partido Mera25, que lidera, e com que pretendia criar um partido pan-europeu a partir do movimento DiEM25, que inclui vários outros partidos de esquerda europeus e europeístas, incluindo o português Livre.

O antigo ministro das Finanças já disse que considerava disponibilizar as gravações, incluindo, em Setembro do ano passado, sugerir que as poderia publicar numa plataforma online de acesso livre. Na altura, Varoufakis acusou ainda outros intervenientes nas reuniões do Eurogrupo de estarem por trás de fugas de informação. 

A questão das gravações tinha surgido de novo no final do ano passado com a estreia do filme de Costa-Gavras, porque o realizador disse que tinha ouvido as gravações como preparação para o filme.

Sugerir correcção