No Ponto: papas de moado, Figueira da Foz

São precisas muitas horas de trabalho. As mulheres que fazem este doce têm que mexer sem parar o preparado de farinha e sangue de porco.

Foto

O dinamismo das pessoas ligadas à associação Grupo de Instrução e Sport (GIS), situada em Buarcos, na Figueira da Foz, mantém muito viva a tradição das papas de moado. Trata-se de um doce com sangue de porco, que se fazia para as principais festas do ano

A associação foi fundada em 31 de Janeiro de 1920, estando agora a comemorar, portanto, 100 anos de existência. A comunidade local junta-se aqui para diversas actividades e as papas de moado tornaram-se uma forma de partilhar tradições e memórias. As mulheres que fazem este doce sabem que são precisas muitas horas de trabalho, desde logo porque se deve mexer constantemente o preparado de farinha e sangue ao lume. Depois, adicionam-se o açúcar, as especiarias e frutos secos. Verte-se em pratinhos e decora-se com canela em pó.

Esta iguaria é entendida como um alimento forte, ideal para os dias frios. Portanto, está na altura de a provarmos.

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, “os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal”. A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.

PÚBLICO -
PÚBLICO -
PÚBLICO -
Fotogaleria
Sugerir correcção