O canto-de-cisne de Gaultier teve até direito a um “funeral”

O desfile, o último de Jean-Paul Gaultier de alta-costura, começou com uma cena fúnebre, com Boy George a interpretar Back to black, a música tornada célebre pela falecida cantora Amy Winehouse, uma das musas do estilista.

O designer, de 67 anos, transportou para o desfile uma grande dose do seu irreverente humor
Foto
O designer, de 67 anos, transportou para o desfile uma grande dose do seu irreverente humor Charles Platiau/Reuters

Jean Paul Gaultier despediu-se da passerelle, na quarta-feira, num estilo tipicamente desordeiro: uma actriz desfilou a fumar um cigarro e o cantor Boy George participou num simulado funeral. O afável estilista francês, que há muito tempo cultiva uma imagem de enfant terrible do mundo da moda, anunciou na semana passada que este seria o seu último desfile de alta-costura, depois de 50 anos no mercado.

O designer, de 67 anos, transportou para o desfile uma grande dose do seu irreverente humor, bem como criações bizarras, desde um vestido de noiva futurista usado pela modelo Karlie Kloss até um toucado de papoilas exibido pela actriz espanhola Rossy de Palma.

Dezenas de modelos masculinos e femininos – incluindo a estrela do burlesco Dita von Teese e a drag queen Violet Chachki – participaram da extravagância no Teatro Châtelet, em Paris. Muitos exibiram looks famosos de Gaultier, como o espartilho que lembra aquele que foi projectado para a Blond Ambition World Tour (1990/91), de Madonna.

“Apenas um Gaultier”

Gaultier disse que estariam para breve novidades sobre um novo conceito, mas ainda não adiantou pormenores sobre os seus planos. Na quarta-feira, disse apenas que continuaria a trabalhar de alguma forma no mundo da moda, sem, porém, obedecer às mesmas restrições, como a realização de desfiles regulares, preferindo focar-se em projectos divertidos. “Estou demasiado velho para revolucionar o sistema”, desabafou aos repórteres, acrescentando que o sector abriga rótulos a mais. Sobre a sua marca homónima, parte do grupo espanhol Puig, de propriedade familiar, afirmou que a mesma continuará, mas com um novo conceito, sem explicar qual.

O ex-mentor de Gaultier, o designer Pierre Cardin, de 97 anos, esteve presente nesta espécie de despedida, além de vários estilistas no activo, como Nicolas Ghesquière, director criativo da Louis Vuitton.

PÚBLICO - Jean-Paul Gaultier despediu-se da <i>passerelle</i> da alta-costura rodeado de amigos; aqui, ladeado pelo cantor Boy George e com a documentarista e ex-modelo Farida Khelfa
Jean-Paul Gaultier despediu-se da passerelle da alta-costura rodeado de amigos; aqui, ladeado pelo cantor Boy George e com a documentarista e ex-modelo Farida Khelfa Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - As propostas da colecção Primavera/Verão do designer primaram pela irreverência
As propostas da colecção Primavera/Verão do designer primaram pela irreverência Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Bella Hadid foi uma das modelos escolhidas para um desfile que também foi uma festa
Bella Hadid foi uma das modelos escolhidas para um desfile que também foi uma festa Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Durante a apresentação da colecção de Gaultier, Boy George protagonizou um dos momentos altos da noite
Durante a apresentação da colecção de Gaultier, Boy George protagonizou um dos momentos altos da noite Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Gaultier chamou os amigos e estes responderam em força. Duas caras conhecidas entre o público foram a ex-primeira dama francesa Carla Bruni-Sarkozy e a modelo Eva Herzigova
Gaultier chamou os amigos e estes responderam em força. Duas caras conhecidas entre o público foram a ex-primeira dama francesa Carla Bruni-Sarkozy e a modelo Eva Herzigova Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - A cumplicidade entre Jean-Paul Gaultier e a actriz espanhola Rossy De Palma, presença comum nos trabalhos de Pedro Almodóvar
A cumplicidade entre Jean-Paul Gaultier e a actriz espanhola Rossy De Palma, presença comum nos trabalhos de Pedro Almodóvar Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Para lá da irreverência, também houve espaço para propostas de corte clássico... ou quase
Para lá da irreverência, também houve espaço para propostas de corte clássico... ou quase Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - A diva do burlesco Dita Von Teese é presença habitual nos desfiles de Gaultier
A diva do burlesco Dita Von Teese é presença habitual nos desfiles de Gaultier Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Rossy De Palma é conhecida pelas suas feições acentuadas e  nariz adunco, mas a actriz diz que nunca considerou submeter-se a uma cirurgia estética
Rossy De Palma é conhecida pelas suas feições acentuadas e nariz adunco, mas a actriz diz que nunca considerou submeter-se a uma cirurgia estética Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - A cantora Mylène Farmer foi outra das presenças marcantes da noite
A cantora Mylène Farmer foi outra das presenças marcantes da noite Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - A cantora Amanda Lear começou a sua carreira como modelo de moda nos anos 1960 e tornou-se a musa de Salvador Dalí
A cantora Amanda Lear começou a sua carreira como modelo de moda nos anos 1960 e tornou-se a musa de Salvador Dalí Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Irina Shayk juntou-se, há um ano, à enorme família de Jean-Paul Gaultier como embaixadora do perfume feminino da marca, Scandal à Paris
Irina Shayk juntou-se, há um ano, à enorme família de Jean-Paul Gaultier como embaixadora do perfume feminino da marca, Scandal à Paris Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Uma proposta que inclui um trabalhado chapéu
Uma proposta que inclui um trabalhado chapéu Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - As transparências marcaram presença na colecção de Primavera/Verão de Gaultier
As transparências marcaram presença na colecção de Primavera/Verão de Gaultier Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Vermelho por inteiro, num macacão de corte angular e siméttrico
Vermelho por inteiro, num macacão de corte angular e siméttrico Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Uma proposta da colecção de Primavera/Verão de Gaultier
Uma proposta da colecção de Primavera/Verão de Gaultier Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - O designer continua a surpreender ao adoptar um estilo que remete para o hijab
O designer continua a surpreender ao adoptar um estilo que remete para o hijab Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Algumas propostas constituíram um festival de cor. Aqui, um conjunto a lembrar <i>O 5.º Elemento</i>, o filme de Luc Besson, para o qual Gaultier desenhou o guarda-roupa
Algumas propostas constituíram um festival de cor. Aqui, um conjunto a lembrar O 5.º Elemento, o filme de Luc Besson, para o qual Gaultier desenhou o guarda-roupa Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Um vestido que parece ser também uma homenagem a França, ao exibir as cores da bandeira gaulesa
Um vestido que parece ser também uma homenagem a França, ao exibir as cores da bandeira gaulesa Charles Platiau/Reuters
PÚBLICO - Gaultier anunciou que, em breve, irá avançar com um novo conceito de moda
Gaultier anunciou que, em breve, irá avançar com um novo conceito de moda Charles Platiau/Reuters
Fotogaleria

“Existe apenas um Jean-Paul Gaultier”, sublinhou a modelo Laetitia Casta ainda antes do início do espectáculo. Casta foi descoberta aos 15 anos por Gaultier: “Ele foi um dos primeiros a sair à rua para encontrar pessoas”, recordou.

O espectáculo começou com uma cena fúnebre, com Boy George a interpretar Back to black, a música que ficou famosa pela falecida cantora Amy Winehouse, uma das musas de Gaultier, a quem o estilista prestou homenagem, inspirando-se nela para criar a colecção Primavera-Verão de 2012: ao todo, foram apresentados 49 looks com referências às músicas, ao estilo e à vida de Winehouse.

“Não queime, upcycle”

Todo o desfile foi uma espécie de canto-de-cisne, ainda que cheio de apontamentos divertidos. No entanto, o designer não deixou de incluir uma mensagem mais séria, numa altura em que muitos na indústria da moda procuram provar as suas credenciais ambientais. E, para o francês, a resposta está na reutilização criativa (upcycle): “Não queime roupas, upcycle”.

Gaultier deixou a sua marca como um dos jovens talentos mais brilhantes da moda francesa durante o início dos anos de 80, abalando o sector com desenhos que remetiam para a cultura urbana de rua, para o movimento punk ou para os clubes gays. Depois de começar aos 18 anos como aprendiz de Cardin, apresentou a sua primeira colecção individual em 1976. Mais tarde, trabalhou como director artístico da Hermès, que possuía uma grande participação da sua empresa e que, em 2011, vendeu à Puig. 

Nos últimos anos, Gaultier abandonou o prêt-à-porter, concentrando-se em colecções de alta-costura duas vezes por ano, com roupas exclusivas e feitas à mão.

A Puig ainda não divulgou os resultados de 2019, cujo ano fiscal termina apenas em Março. Em 2018, a sua receita aumentou 5%, para 1900 milhões de euros.