As muitas imagens de Madonna ao longo dos anos

Numa altura em que os concertos no Coliseu dos Recreios, Lisboa, são também uma retrospectiva de carreira, propomos uma viagem pelas muitas caras de Madonna, ao longo dos anos.

Fotogaleria
Em Lisboa, em 2008 Daniel Rocha
Fotogaleria
Madonna Louise Ciccone aos 19 anos DR
Fotogaleria
Em 1983, após o lançamento de Everybody DR
Fotogaleria
Em 1984, Madonna lançou o álbum Like a virgin DR
Fotogaleria
Em Desesperadamente Procurando Susana surgia com o visual criado pela designer Maripol DR
Fotogaleria
Pouco tempo depois dos primeiros sucessos, a artista já precisava de segurança DR
Fotogaleria
Imagem do videoclip de Like a prayer que escandalizou o Vaticano DR
Fotogaleria
Em 1991, na Blond Ambition World Tour DR
Fotogaleria
Em 1991, a Blond Ambition World Tour foi um sucesso e viria a dar origem ao documentário Na Cama Com Madonna DR
Fotogaleria
Em 1992, lançou Erotica e mudou o seu visual DR
Fotogaleria
Em 1994, nos prémios MTV, com os Aerosmith Mark A. Cardwell/Reuters
,Evita
Fotogaleria
Em 1996, Madonna vestiu a pele de Evita Péron DR
,Antonio Banderas
Fotogaleria
Madonna com Antonio Banderas ENRIQUE MARCARIAN/Reuters
,A turnê mundial do Girlie Show
Fotogaleria
Em 1997, lançou Ray of Light DR
,Celebridade
Fotogaleria
Guy Ritchie e Madonna casaram no fim de 2000 KIERAN DOHERTY/REUTERS
,MTV Video Music Award
Fotogaleria
Em 2003, o beijo a Christina Aguilera que fez correr rios de tinta WIN MCNAMEE/Reuters
Madonna
Fotogaleria
Numa escola, onde leu excertos do livro The Adventures of Abdi, em Londres, em 2004 MATT DUNHAM/Reuters
Madonna
Fotogaleria
Em Lisboa, em 2004 Luís Ramos/Arquivo
,Década de 1980
Fotogaleria
Em 2005, nos prémios MTV NACHO DOCE/Reuters
Madonna
Fotogaleria
Wembley Arena, Londres, em 2006 KIERAN DOHERTY/Reuters
Fotogaleria
Confessions Tour, 2006 JESSICA RINALDI/Reuters
,Pegajoso
Fotogaleria
Na Áustria, em 2008 MAURI RATILAINEN/Reuters
,Met Gala
Fotogaleria
No tapete vermelho da inauguração da mostra Alexander McQueen: Savage Beauty, no Metropolitan Museum of Art Costume Institute Benefit ERIC THAYER/Reuters
,Eurovision Song Contest 2019
Fotogaleria
A actuação de Madonna ao intervalo do Superbowl, em 2012 Mark Cornelison/Reuters
Madonna
Fotogaleria
Em 2016, num evento da Billboard ANGELA WEISS/Reuters
,Raising Malawi
Fotogaleria
Com os filhos David e Mercy James Siphiwe Sibeko/Reuters
,Festival Eurovisão da Canção
Fotogaleria
Na entrega dos prémios MTV, em 2018 Carlo Allegri/Reuters

O primeiro concerto de Madame X Tour no Coliseu dos Recreios de Lisboa foi este fim-de-semana. Seguem-se mais sete, até dia 23, naquilo que é descrito como uma “experiência intimista”, com a proibição do “uso de telemóveis, smartwatches e acessórios, câmaras ou outros aparelhos de gravação”. Mas, acima de tudo, trata-se de um espectáculo em que a cantora pop enceta uma retrospectiva de toda a sua carreira. Algo que não pode ser dissociado da sua imagem, que tem sido marcada por um cariz camaleónico.

PÚBLICO -
Foto
DR

Começou por se apresentar, na primeira metade da década de 1980, com um visual criado pela designer Maripol, naqueles anos directora criativa da italiana Fiorucci. Depressa os tops em renda, as saias sobre calças, meias de rede, que cruzava com acessórios como a fita colorida a segurar o cabelo, as abundantes pulseiras e o colar a exibir um crucifixo foram adoptados por uma geração inteira. Foi por esta altura que lançou o seu primeiro grande êxito, Everybody (single de 1982), que depressa correu as pistas de dança da América e do mundo. Mas foi com Like a virgin, em 1984, que se tornou famosa em todo o mundo – o álbum chegou a número um na Billboard 200 e o single com aquele tema esteve na Billboard Hot 100 durante seis semanas consecutivas.

No ano seguinte, a mesma imagem com que se apresentava como artista chega ao grande ecrã Desesperadamente Procurando Susana (1985), filme que introduziu a música Into the Groove.

PÚBLICO -
Foto
DR

Menos adereços, mais loiro platinado

Em 1986, chegou o terceiro álbum de estúdio, True Blue, com o qual somou cinco grandes sucessos Live to tell, Papa don't preach, Open your heart, True blue e La isla bonita. Um ano mais tarde, voltaria ao cinema com a comédia romântica Who's That Girl, de James Foley. As pulseiras e os colares foram desaparecendo, e a artista surgiu mais loira que nunca, num penteado armado a lembrar Marilyn Monroe.

No virar da década, acabaria em confronto directo com o Vaticano, que condenaria o tema Like a prayer, o qual daria origem a um videoclip cheiinho de referências religiosas. Na época a Rolling Stone escreveu que “foi o mais próximo que a pop chegou à arte". Desse álbum saíram ainda Express yourself e Cherish.

Por esta altura, começa a escolher um visual diferente, com alguma inspiração da década de 1930 — e foi precisamente com um filme a lembrar essa época, Dick Tracy (1990), que conquistou o Óscar de melhor canção original, que partilhou com o compositor Stephen Sondheim, por Sooner or later.

Arranca, então, com uma das suas mais emblemáticas digressões — com direito a ter a atenção do então Papa João Paulo II que, através de fiéis, mobilizou o público em geral e a comunidade cristã a não comparecer aos concertos. Na Blond Ambition World Tour, que se prolongou por quase quatro meses e que daria origem ao documentário Na Cama com Madonna, a artista apresentaria Like a virgin num icónico espartilho, criado pelo estilista Jean Paul Gaultier.

De Sex a Ray of Light

Em 1993, Madonna embarca na sua fase mais erótica e ousada, surgindo de cabelo extremamente curto e a abusar da maquilhagem assim como das pestanas postiças. Lança Eurotica, contracena com Willem Dafoe em Corpo de Delito e lança o livro Sex – nenhuma das experiências constituíram grandes sucessos e a crítica foi implacável.

PÚBLICO -
Foto
Ray of Light DR

Acabaria por se reinventar para vestir a pele de Evita [Eva Perón], a mais activa primeira-dama da História argentina, cuja morte precoce (sucumbiu a um cancro) a transformou num mito. Madonna viria a conquistar o Globo de Ouro de melhor actriz num musical ou comédia. Nos Óscares, recebeu a estatueta de melhor canção original por You must love me.

É durante este período que se envolve com o personal trainer Carlos Leon, de quem engravida de Lourdes Maria, a sua primeira filha. A maternidade leva-a a uma nova revolução física: deixa os cabelos longos e menos loiros, com um toque natural, ao mesmo tempo que transporta para a música e para as vestes o interesse pelo misticismo oriental da Cabala. Por esta altura, lança o sétimo álbum de estúdio: Ray of Light conquistaria público e críticas. 

Estilo camaleónico

Entre 1999 e 2000, grava o álbum Music, em que adopta um estilo country, e conhece Guy Ritchie, com quem tem o filho Rocco, casando com o realizador alguns meses depois. Inspirada na Cabala e a pensar nos filhos, escreve uma colecção para crianças com o objectivo de ensinar-lhes algumas coisas. O primeiro título é As Rosas Inglesas.

Ao longo dos primeiros anos do novo milénio, Madonna foi oscilando entre ter uma atitude provocadora, inclusive na forma de vestir, e um visual quase cândido. O público reagiu positivamente: em 2004, a Re-Invention Tour foi a digressão mais lucrativa do ano; dois anos depois, a Confessions Tour foi a mais lucrativa de uma artista feminina de sempre. No mesmo ano, entrou com o processo de adopção de David, de nacionalidade malawi e serviu de inspiração a uma linha global da sueca H&M, a qual reflectia “um estilo intemporal, único e sempre glamouroso”.

Em 2008, chegou o divórcio, mas também a adopção de Mercy James, do Malawi. Nove anos depois, adoptaria, no mesmo país, as irmãs gémeas Esther e Stella.

Já o seu guarda-roupa parece nunca se cansar de mais do mesmo, com Madonna a surgir nos mais diferentes estilos, mudando de um dia para outro: ora se mostra morena, ora loira; ora abusa da maquilhagem, ora surge de cara lavada; ora veste clássicos, ora recorda a rebeldia dos anos de 1980.