Portuguesa Frulact muda de mãos para os franceses da Ardian

Depois da aquisição da Ascendi, ao grupo Mota-Engil e Novo Banco, sociedade de investimento francesa compra a empresa da Maia para dar impulso financeiro ao negócio familiar.

Foto
Frulact possui nove fábricas na Europa, África e América do Norte Sérgio Azenha

O fundo de investimento Ardian, de origem francesa comprou a Frulact, fabricante de ingredientes naturais a partir de frutas e plantas para a indústria alimentar e de bebidas, fundada pela família Miranda, em 1987. Aquisição dará “recursos financeiros e estratégicos consideráveis para impulsionar a empresa, nas palavras de João Miranda, fundador e maior accionista da empresa. Valor de negócio não foi revelado.

A aquisição da empresa, que tem sido notícia pelo lançamento de vários produtos inovadores, utilizados em lacticínios, gelados, sobremesas, bebidas, aromatizantes e ingredientes alternativos à base de plantas, foi comunicada esta quarta-feira e, de acordo com a informação revelada, contou com o apoio da equipa de gestão. Com sede na Maia, “a Frulact emprega mais de 750 trabalhadores, possui nove unidades industriais na Europa, África e América do Norte, vendendo os seus produtos em mais de 40 países e registando um volume de negócios perto dos 115 milhões de euros”.

Em comunicado, a  Ardian adianta que “irá apoiar a equipa de gestão da Frulact para acelerar o plano estratégico e consolidar a posição do grupo como um dos líderes globais na indústria alimentar, apoiando as actividades já em curso e fortalecendo as competências da Frulact em nichos e ingredientes adjacentes ao negócio”. Nesse sentido, o novo dono garante que “confiará” na actual equipa de gestão, liderado por Duarte Faria como presidente-executivo (CEO), para desenvolver o projecto. João Miranda, até agora presidente e maior accionista da empresa familiar, passa a presidente não-executivo do grupo.

Citado no comunicado, João Miranda, diz juntar-se “a todos os Frulacteanos para dar as boas-vindas à Ardian e começar este novo capítulo da Frulact”. Acrescentando: “estamos muito satisfeitos com este acordo e parceria, uma vez que a Ardian trará recursos financeiros e estratégicos consideráveis para impulsionar a Frulact a tornar-se uma plataforma forte, que irá agregar e integrar outros negócios contíguos na indústria dos ingredientes de valor acrescentado e, consequentemente, consolidar o projecto Frulact, apoiado no nosso capital humano, permitindo que a empresa explore uma pegada global sustentável”. O comunicado não refere se João Miranda, ou a família, mantém alguma participação minoritária na empresa.

“A transacção é um exemplo perfeito da especialização da Ardian no apoio à transformação e crescimento de projectos em indústrias cujo funcionamento dominamos, ao mesmo tempo que mantemos o legado do que foi criado pela família Miranda”, avança Philippe Poletti, membro do Comité Executivo e líder da Ardian França, citado no comunicado.

Ainda de acordo com a mesma fonte, a Frulact é o primeiro investimento da equipa da Ardian Buyout em 2020, que conta com 50 trabalhadores, em sete escritórios na Europa e em Nova Iorque.

Em 2017, a sociedade de investimento Ardian adquiriu, à Mota-Engil e ao Novo Banco, a Ascendi, empresa que detém várias concessões rodoviárias.