Torne-se perito

Detido suspeito de assaltar lojas com pedras da calçada no centro de Lisboa

Homem já tinha sido detido na véspera de Natal por furto nos Anjos.

Foto
O detido é suspeito de sete assaltos MIGUEL MANSO

Um homem de 31 anos foi detido na quinta-feira, em Lisboa, por ser suspeito de sete assaltos em várias lojas no centro da cidade, onde partiu os vidros das montras com pedras da calçada, foi anunciado esta segunda-feira.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, refere que a detenção ocorreu na sequência de um mandado de detenção fora de flagrante delito.

Bastante activo nos últimos meses, segundo a PSP, o suspeito foi localizado após se verificar que em dois furtos se tinha cortado nos vidros das montras, tendo deixado sangue no chão dos estabelecimentos. O homem foi identificado na zona do Intendente, após as autoridades observarem ferimentos numa mão.

Através das rotinas, a PSP reparou que a actividade do suspeito ocorreu entre finais do ano passado e a segunda semana de Janeiro, maioritariamente nas freguesias dos Anjos, Alvalade, Arroios e Areeiro. O homem assaltava as lojas através de arrombamentos das montras e das portas, com recurso a pedras da calçada. Segundo a PSP, roubava o dinheiro das caixas registadoras e outros bens, como computadores, “tablets” e um videoporteiro. Com os roubos e os danos materiais, provocou às vítimas um prejuízo total de 2.500 euros.

O homem já foi presente ao juiz de instrução para ser ouvido em primeiro interrogatório, sendo-lhe decretada a medida de coação de prisão preventiva. De acordo com a PSP, antes da detenção o suspeito encontrava-se a cumprir pena de prisão de cinco meses, suspensa por um ano e sob a obrigação de apresentações semanais, imposta num outro processo que tinha pendente. Porém, não estava a cumprir a medida de coação.

As autoridades lembram ainda que o homem já havia sido detido em 24 de Dezembro de 2019 em flagrante delito, por furto a uma loja na zona dos Anjos. O suspeito ficou na altura sujeito à medida de coação de apresentações semanais.

Sugerir correcção