Torne-se perito

PJ faz buscas em casa de milionário alemão suspeito de organizar orgias com menores

Ausente do país neste momento, Mathias Schmelz é suspeito de organizar orgias com raparigas com idades entre os 14 e os 17 anos.

PJ procura agendas e ficheiros electrónicos do empresário
Foto
PJ procura agendas e ficheiros electrónicos do empresário Paulo Pimenta/Arquivo

A Polícia Judiciária de Lisboa está a fazer buscas em casa e na empresa do multimilionário alemão Mathias Schmelz que é suspeito de recorrer à prostituição de menores. Segundo a estação televisiva TVI, a polícia está à procura de agendas e ficheiros electrónicos do empresário que, desde 1993, representa em Portugal a marca Rainbow.

Ausente do país neste momento, Schmelz é suspeito de organizar orgias com raparigas com idades entre os 14 e os 17 anos, às quais pagaria cerca de 500 euros por cada sessão de sexo.

Os crimes começaram a ser investigados há cerca de um ano, na sequência da denúncia feita pela mãe de uma menores que frequentavam uma escola secundária em Telheiras, onde o aliciamento seria feito por via de outras menores, bem como através das redes sociais. Os carros de alta cilindrada do alemão seriam vistos com frequência nas imediações daquele e de outros estabelecimentos de ensino em Lisboa e na linha de Cascais e as orgias teriam lugar em hotéis de Lisboa ou na casa do empresário, no Estoril.

Segundo precisou a Procuradoria-Geral da República, em meados de Novembro, o empresário de 59 anos, que constituiu fortuna com a venda dos aspiradores Rainbow, está a ser investigado por suspeitas de recrutar menores de classe alta e média alta e o crime de lenocínio (o abuso sexual de crianças só se aplica até aos 13 anos de idade) terá sido descoberto depois de um assalto à sua residência encomendado por uma das raparigas que, na véspera, teria ali participado numa festa. 

Sugerir correcção