Um Natal de Perlimpimpim

O parque natalício de Santa Maria da Feira celebra este ano "a magia do arco-íris". Até 5 de Janeiro, prometem-se muitas diversões de Natal e com um foco na educação para a sustentabilidade.

Fotogaleria

Bendita Coca-Cola que nos criou o Pai Natal de traje vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão. Bochechas rechonchudas, barriga anafada e alvas barbas de corte pré-hipster deram ao drama de um Cristo sem sorte a graça pagã que revestiu o enredo católico com uma aura bem mais alegre de magia, pontuada por trenós voadores, feitiços adelgaçantes chaminé abaixo, renas cheias de personalidade e presentes que nem a pirralhos mal comportados chegaram alguma vez a faltar. Tal como há 90 anos a neblina gaseificada da Coke se fez pó de perlimpimpim para tornar carmim o fato verde de São Nicolau, também os modestos jardins da Quinta do Castelo de Santa Maria da Feira se transformam por estes dias num medley de hits do imaginário infantil da fantasia. 

Sob a chancela do parque temático Perlim, crianças e famílias do município passeiam ao lado de duendes e elfos; forasteiros de outros territórios lusos e além-fronteiras convivem entre roedores com coluna bípede e indumentária belle époque; adultos sem pudores lutam com piratas, escorregam como esquimós sobre tobogãs e deslizam como Tarzans entre as árvores, resguardados por arneses em vez de tanguinhas tigresse. As casas dos recantos mais instagramáveis parecem feitas de gengibre, as brisas de ar frio cortam-se com o aroma de crepes e pipocas, e mesmo os dias de céu cinzento e molhado decoram-se com vibrantes arcos-íris cujo aro tanto acolhe os gays e portadores de deficiência como os rezingas, os chatos, os pessimistas, os amargos, ácidos e ensossos. 

Os miúdos já não têm porque preocupar-se com notas para saber que passam de ano, mas ainda precisam de correr colina abaixo para testar o travão das sapatilhas, trepar árvores para melhor reconhecer o cheiro e toque da madeira, passear de comboiínho até ao castelo acenando a todos como turistas deslumbrados, abraçar bonecas gigantes sem medo de lhes engelhar o vestido e subir ao colo do Pai Natal para lhe sussurrar segredos sem receio (alheio) de moléstias.

Podia haver um parque natalício só para adultos, é certo… Mas aí os pruridos da maioridade voltariam à tona, a vontade dissimular-se-ia de desdém e descaso, e o mais provável é que tão colorido recreio ficasse sem fadas, só às moscas. Mais vale ter a desculpa de que as crianças precisam de brincar e o argumento de que alguém tem que levá-las à festa. Façamos de conta que não percebemos e, às claras ou sob luzinhas, deixemos os adultos brincar. Eles bem precisam disso e, sabendo-o, Perlim faz-se cúmplice: estende-lhes a passadeira vermelha, brinda-os com fogo-de-artifício e faz de conta que não dá por eles. Alexandra Couto
 

Informações
Perlim está na Quinta do Castelo de Santa Maria da Feira e funciona até 5 de Janeiro, de quinta-feira a domingo (também nas segundas, dias 23 e 30), das 13h30 às 19h. Quanto a preços: bilhetes gratuitos até aos 2 anos; 6€ dos 3 aos 12 anos e +65; e 7€ dos 13 aos 64 anos. Há preços especiais para grupos. Mais informações no site oficial.

Sugerir correcção