Inteligência artificial já detecta telemóveis ao volante na Austrália

Novo sistema visa ajudar a reduzir em um terço o número de vítimas mortais de acidentes de viação.

,Carro
Foto
Sistema recorra à inteligência artificial mas terá revisores humanos Transport for NSW

O estado australiano da Nova Gales do Sul, onde se situa a cidade de Sydney, activou no domingo um sistema de câmaras de videovigilância capazes de detectar condutores que estejam a utilizar telemóveis ao volante, esperando assim reduzir o número de mortes na estrada.

Este sistema de detecção de telemóveis ao volante, um dos primeiros do mundo, assenta em câmaras que operam tanto de dia como de noite, e em qualquer cenário meteorológico. “É um sistema para mudar hábitos”, declarou o comissário da polícia de Nova Gales do Sul, Michael Corboy, citado na imprensa australiana.

O sistema recorre a inteligência artificial para analisar imagens e detectar o uso ilegal de telemóveis ao volante, explicou a autoridade estadual de transportes. Depois de detectadas irregularidades de forma automatizada, um funcionário verificará se as imagens captadas mostram, ou não, alguém a utilizar telemóveis enquanto conduz.

Durante os primeiros três meses em que o sistema estiver em vigor, os condutores infractores receberão apenas uma carta de aviso. Depois desse prazo, passam a ser aplicadas multas de 344 dólares australianos (cerca de 212 euros) ou, no caso de a infracção ocorrer perto de uma escola, de 457 dólares australianos (281 euros). Serão também retirados pontos da carta de condução.

Desde o início do ano morreram 329 pessoas em acidentes de viação na Nova Gales do Sul (em 2018, foram 354), segundo estatísticas oficiais. O estado quer agora reduzir este número em 30% até 2021.

A Holanda lançou um sistema semelhante, automatizado, em Outubro. Neste caso, com multas de 240 euros. No Reino Unido, um sistema de radares que detectam sinais de rede de telemóvel e exibem avisos luminosos a alertar para infracções está em teste na zona de Oxford desde Abril.