Mortes maternas quase duplicaram em 2018. “É uma brutalidade”, diz Sociedade Portuguesa de Obstetrícia

Morreram 17 mulheres na sequência de complicações na gravidez, parto ou puerpério. Só três destas mulheres tinham 40 anos ou mais. Directora-geral da Saúde está “preocupada”.

Foto
asm ADRIANO MIRANDA

Em 2018 morreram em Portugal 17 mulheres por complicações durante a gravidez, parto e puerpério, fazendo com que a taxa de mortalidade materna tenha subido de 10,4 para 19,5 mortes por cada cem mil nascimentos. Uma taxa tão elevada só se encontra recuando até 1980. Em valores absolutos, passou-se de nove mortes em 2017 para 17 em 2018.