Torne-se perito

Bebé que nasceu sem partes do rosto em Setúbal já teve alta hospitalar

Rodrigo está em casa dos pais desde sexta-feira. Uma equipa de cuidados paliativos pediátricos monitoriza o estado de saúde da criança.

Foto
Marlene, mãe do Rodrigo, fez as ecografias com o obstetra Artur Carvalho na clinica Ecosado, em Setúbal. Pedro Fazeres / PUBLICO

Rodrigo, o bebé que nasceu sem partes do rosto e outras malformações que não foram detectadas durante a gravidez, teve alta hospitalar e está em casa dos pais desde sexta-feira.

Segundo avança esta segunda-feira o Correio da Manhã, o bebé de mês e meio recebe em casa a visita, quase diária, de uma equipa de cuidados paliativos pediátricos, que monitoriza a evolução do seu estado de saúde. E os pais têm contactos específicos do hospital de São Bernardo, em Setúbal, que lhes garante apoio 24 horas.

O bebé, que nasceu sem olhos, sem nariz e sem parte do crânio, consegue respirar sozinho, mamar e beber o biberão, porém tem lesões graves no cérebro e revelou surdez e malformações no céu-da-boca. Estas lesões foram confirmadas por uma ressonância magnética.

Artur Carvalho, o obstetra que realizou todas as ecografias a Marlene, a mãe de Rodrigo, e que não terá detectado as malformações, tem sete processos na Ordem dos Médicos. Enquanto correm os processos, o obstetra foi, entretanto, suspenso de funções.

Desde que o caso foi noticiado que têm sido tornados públicos outros casos semelhantes envolvendo o mesmo obstetra. O caso e o alarme social gerado levaram também a Ordem dos Médicos a decidir implementar uma competência específica para os profissionais que realizam ecografias durante a gravidez e a anunciar  uma base de dados para que as grávidas possam encontrar e verificar as competências específicas dos médicos.

Sugerir correcção