Reportagem

Hong Kong: “Ninguém vai ter filhos aqui. Não há esperança”

Jovens manifestantes saem à rua para chorar a morte de um estudante de 22 anos. Manifestações provocam nova escalada de tensão com a polícia. O braço-de-ferro não dá sinais de parar.

,Aluna
Fotogaleria
Jovens vestidos de preto, a cor dos manifestantes, recordam o estudante Chow Tsz-lok, de 22 anos, que morreu depois de sofrer danos cerebrais graves Tyrone Siu/REUTERS
Fotogaleria
Vigília em memória do estudante JEROME FAVRE/EPA

Mok e Tsang têm, ambas, cabelos lisos e compridos e uns olhos negros expressivos, que ora se fecham num sorriso ora se abrem de espanto, mas o resto da cara está tapada pela máscara negra usada por grande parte dos jovens envolvidos nos protestos pró-democracia e anti-Pequim que duram desde Junho em Hong Kong.