Opinião

Parentes pobres

Portugal não investe o suficiente em ciência e tecnologia, que continuam a ser parentes pobres à mesa do Orçamento do Estado.

É hoje lançado na Universidade de Aveiro um estudo coordenado por Nuno Ferrand, Ester Serrão e Fernando Silva e patrocinado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, que analisa a evolução da ciência e da tecnologia entre nós ao longo de 30 anos. Mostra uma quantidade impressionante de dados que possibilitam comparações entre o passado e o presente, entre as várias regiões do país, e entre Portugal e outros países europeus.