Pepetela e quatro escritores portugueses entre os finalistas do prémio Oceanos

Os portugueses que estão na final do concurso são Dulce Maria Cardoso, João Tordo, Djaimilia Pereira de Almeida e José Gardeazabal. Entre os brasileiros estão obras de Gustavo Pacheco e Cristovão Tezza.

Pepetela
Foto
Pepetela NFS NUNO FERREIRA SANTOS

 O escritor angolano Pepetela e quatro autores portugueses estão entre os 10 finalistas do Oceanos — Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, organizado pelo Itaú Cultural, no Brasil.

Pepetela, pseudónimo do angolano Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, é finalista com o romance Sua Excelência, de Corpo Presente.

Já os portugueses que estão na final do concurso são Dulce Maria Cardoso com o romance Eliete, João Tordo com Ensina-me a Voar Sobre os Telhados, Djaimilia Pereira de Almeida com Luanda, Lisboa, Paraíso, e José Gardeazabal, autor de Meio Homem Metade Baleia.

Os outros cinco autores seleccionados são os brasileiros Gustavo Pacheco, autor do livro de contos Alguns Humanos, e os romancistas Cristovão Tezza com A Tirania do Amor, Mauricio Lyrio com O Imortal, Nei Lopes com O Preto que Falava Iídiche e Nara Vidal, autora de Sorte.

Os 10 finalistas foram escolhidos por um júri composto pelos críticos literários Eliane Robert Morais e Ítalo Moriconi, e as escritoras Maria Esther Maciel e Veronica Stigger, do Brasil.

Também fizeram parte do júri a jornalista Ana Sousa Dias, o poeta Daniel Jonas e o crítico literário Manuel Frias Martins, de Portugal, e o crítico literário Francisco Noa, de Moçambique.

Para justificar a escolha, o júri referiu que as obras seleccionadas destacam-se pela capacidade de associar a qualidade literária às questões contemporâneas em narrativas que tratam de temas como a desterritorialização, a inquietação existencial e a sexualidade.

O prémio Oceanos teve a participação de 1.467 concorrentes com obras lançadas por 314 editoras de 10 países.

Em 2019, a curadoria do prémio Oceanos está a cargo da linguista cabo-verdiana Adelaide Monteiro, da jornalista portuguesa Isabel Lucas, e da gestora cultural Selma Caetano e do jornalista Manuel da Costa Pinto, ambos do Brasil.

O valor total dos prémios é de 250 mil reais (56 mil euros), verba que será dividida por três escritores.

O livro vencedor receberá 120 mil reais (27 mil euros), o segundo classificado 80 mil reais (18 mil euros) e o terceiro 50 mil reais (11 mil euros), concorrendo entre si obras de diferentes géneros literários.

Os vencedores serão anunciados no dia 5 de Dezembro, na cidade brasileira de São Paulo.

O Prémio Oceanos conta com os patrocínios do Banco Itaú, da República de Portugal (através do Fundo de Fomento Cultural do Ministério da Cultura), da CPFL Energia e tem o apoio do Instituto Itaú Cultural.