House of the Dragon: há uma nova série A Guerra dos Tronos, mas não é a esperada

HBO anunciou o seu novo serviço de streaming, ainda sem data para a Europa, e uma temporada de Casa Targaryen. Projecto com Naomi Watts caiu por terra. Novas séries na calha: ficção científica de Ridley Scott ou Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie.

,GIF
Foto
A nova série terá por base a Casa Targaryen HBO

Terça-feira foi um dia agitado na dimensão empresarial do universo ficcional de A Guerra dos Tronos. A HBO anunciou no mesmo dia que a série-prequela de A Guerra dos Tronos protagonizada por Naomi Watts foi cancelada à nascença, mas que já deu luz verde a uma outra prequela, House of the Dragon. Esta nova série, centrada na casa Targaryen que milhões de espectadores e leitores já conhecem, tem pelo menos uma temporada garantida. Entretanto, o catálogo da HBO e seu novo serviço, a HBO Max, ganharam novos títulos e data de estreia.

O canal HBO prepara-se para entrar nas “guerras do streaming” com uma nova plataforma, a HBO Max (em Portugal, a marca HBO existe apenas como um serviço de streaming local), que reunirá as séries originais do canal premium que teve em A Guerra dos Tronos o seu maior blockbuster. Terça-feira, numa apresentação aos seus investidores em vésperas de mudanças no mercado, a HBO fez muitos anúncios.

Além do seu preço (14,99 dólares/mês, o mais caro do mercado) e data de lançamento nos EUA — Maio de 2020, seguindo-se ainda sem data a América Latina e a Europa - um dos mais sonantes foi que haverá nova série centrada na dinastia Targaryen. A série criada por George R.R. Martin, o autor dos livros e produtor executivo da série que este ano chegou ao fim, e Ryan Condal (Colony), começará cerca de 300 anos antes dos acontecimentos narrados n’As Crónicas de Gelo e Fogo. As Crónicas de Gelo e Fogo são o corpo central da obra de Martin e na versão original e literária estão ainda por terminar, com dois livros na forja.

A série terá 10 episódios cuja base serão os mais recentes livros do universo Tronos: o spin-off Fogo e Sangue, editado em Portugal em dois volumes no final de 2018 e início de 2019 pela Saída de Emergência. De acordo com um comunicado da HBO, o realizador do primeiro episódio será Miguel Sapochnik, autor de alguns dos episódios de maior acção de A Guerra dos Tronos. Sapochnik realizará outros episódios e será um dos showrunners, os coordenadores autorais de uma série. A série será escrita por Ryan Condal.

House of the Dragon (A Casa do Dragão, numa tradução livre) “vai explorar as origens da Casa Targaryen e os primeiros tempos de Westeros”, como disse o presidente para a programação da HBO, Casey Bloys, citado pela revista Hollywood Reporter.

A mesma revista esclarece que House of the Dragon não é uma das séries-prequela que a HBO tinha em estudo há mais de dois anos, mas sim um novo projecto que encontrou uma via rápida em alternativa ao normalmente demorado processo de desenvolvimento de séries no canal. A Variety relata, por seu turno, que dos projectos iniciais nenhum parece estar em andamento.

O anúncio surgiu horas depois de se saber que o projecto mais conhecido desse pacote de prequelas que a HBO tinha em carteira caiu por terra. A showrunner Jane Goldman anunciou à sua equipa que após a filmagem de um episódio, o piloto, no Verão, a série com Naomi Watts não iria avançar.

Um mercado em rápida mudança

Dados os nomes envolvidos e a relativa mediatização do projecto passado na “Era dos Heróis” deste universo, a notícia surgiu como uma surpresa — e emergiu um dia depois de outra notícia relacionada com este título tão rentável chamado A Guerra dos Tronos, quando se soube que os seus ex-showrunners decidiram apostar no seu contrato com a Netflix ao invés de criarem uma nova trilogia Star Wars para o gigante Disney.

Em pouco mais de 24 horas, misturaram-se na indústria notícias em que se cruzam algumas das suas actuais tendências: a importância de títulos conhecidos e de franchises para rentabilizar e fidelizar espectadores e o peso do streaming num sector em rápida mudança.

No mesmo encontro da HBO, foi anunciada a migração das séries Rick and Morty, South Park e Raised by Wolves, de Ridley Scott, para a futura HBO Max, bem como a criação de uma série baseada na BD Green Lantern e novos Looney Tunes para o serviço. A HBO está ainda a desenvolver uma série de 10 episódios com base em Americanah, o livro de Chimamanda Ngozi Adichie, que terá como protagonista a oscarizada Lupita Nyong’o e que é escrita por Danai Gurira (também actriz e conhecida pelos seus papéis em Black Panther e The Walking Dead).

No final do encontro, cita o New York Times, o presidente da AT&T (dona da HBO) rematou: “Isto não é a Netflix. Isto não é a Disney. Isto é a HBO Max”, diss Randall Stephenson.

Os programas de Anthony Bourdain e uma nova série de ficção científica de J.J. Abrams estarão também na HBO Max, que já tem garantidos campeões de visionamentos repetidos como Friends e A Teoria do Big Bang, além do catálogo de cinema da Warner, por exemplo.