Pixabay
Foto
Pixabay

Chegou a Portugal a Too Good To Go, a app que combate o desperdício alimentar

Já está disponível em Portugal uma aplicação gratuita que evita que comida de qualidade acabe no lixo. É a Too Good To Go, permite encomendar excedentes alimentares a preços reduzidos e, para já, só funciona em Lisboa.

Numa altura em que o desperdício alimentar anual em Portugal ronda o milhão de toneladas, chega a aplicação Too Good To Go. Pretende criar um “movimento de milhões de waste warriors” que evita, “todos os dias, que comida de qualidade acabe no lixo”.

Está disponível em Portugal a partir desta terça-feira, 29 de Outubro, e é uma aplicação gratuita que se define como um mercado online onde é possível encomendar excedentes alimentares de restaurantes, hotéis e supermercados. Tudo a preços reduzidos. Por enquanto só está presente em Lisboa, abrangendo cerca de 50 estabelecimentos, “mas o objectivo é num ano estar disponível nos 18 distritos”, diz ao P3 Madalena Rugeroni, directora-geral da plataforma em Portugal.

Para a utilizares, só tens de descarregar a app ​(disponível para iOS e Android), descobrir quais os estabelecimentos aderentes perto de ti, fazer o pagamento e recolher o pedido no local durante o horário indicado. Os criadores da aplicação convidam os utilizadores a “aproveitar esta comida, em óptimo estado, por preços entre 2  e 5 euros”, seja em refeições de pequeno-almoço, almoço ou jantar. “O mais importante é que estás a preservar o meio ambiente, reduzindo o desperdício alimentar e as emissões de CO2”, diz a empresa, criada em 2016 em Copenhaga, em comunicado.

PÚBLICO -
Foto
A aplicação está disponível em 13 países DR

A Too Good To Go funciona com o conceito “caixa-surpresa”: quando se encomenda comida de um restaurante, não se sabe o que virá na caixa. “Daí ter os preços tão irrisórios. Pagamos três vezes menos o valor real, ou seja, se a caixa tiver produtos que ao todo valem 10 euros, só pagamos cerca de 3 euros”, diz ao P3 Madalena Rugeroni. No entanto, pede-se “sempre aos restaurantes que coloquem a maior diversidade possível”. 

Disponível em 13 países da Europa, a app conta já com “17 milhões de utilizadores e mais de 31 mil estabelecimentos parceiros”. A ideia é que em 2020 chegue aos “75 milhões de utilizadores e aumente o número de parceiros para 75 mil”. Até hoje, a empresa estima ter resgatado do lixo mais de 22 milhões de refeições, ajudando a reduzir em 58 mil toneladas as emissões de dióxido de carbono.

Com um conceito semelhante existe em Portugal, desde 2018, a FairMeals, uma app que permite a restaurantes e padarias venderem o excesso de fabrico com descontos entre 20 a 70%.

Sugerir correcção