Uma das maiores redes de pornografia infantil do mundo foi desmantelada

Pelo menos 338 pessoas foram detidas em 12 países. Site utilizava bitcoin como sistema de pagamento, ocultando a identidade dos utilizadores.

Foto
O site Welcome to Video foi bloqueado pelas autoridades Departamento de Justiça dos EUA

Mais de 300 pessoas foram detidas em 12 países na sequência do desmantelamento de uma das maiores redes de pornografia infantil do mundo, revelou esta quarta-feira o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

O site, chamado Welcome To Video que operava na dark web, tinha base na Coreia do Sul e vendia, através de um sistema de pagamento em bitcoin, mais de 250 mil vídeos de pornografia infantil, usando tecnologia avançada para ocultar a identidade dos utilizadores.

Segundo as autoridades dos Estados Unidos, Reino Unido e Coreia do Sul, esta era uma das maiores redes de pornografia infantil do mundo. Os vídeos ali disponíveis já tinham sido descarregados mais de um milhão de vezes.

O gestor do site, o sul-coreano Jong Woo Son, de 23 anos, e 337 utilizadores de 12 países diferentes (Estados Unidos, Reino Unido, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Brasil, Alemanha, Arábia Saudita, República Checa, Canadá, Irlanda e Austrália) foram detidos. Jong Woo Son encontra-se a cumprir uma pena de 18 meses na Coreia do Sul, mas também é alvo de acusações judiciais nos Estados Unidos. Durante as buscas à residência de Son, as autoridades encontraram cerca de oito terabytes de vídeos de pornografia infantil, uma das maiores apreensões do género até hoje. As imagens estão agora a ser analisadas pelo Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas dos Estados Unidos.

Outros dos 338 detidos nesta longa operação já foram entretanto condenados e cumprem penas de prisão de até 15 anos, de acordo com o comunicado divulgado pelo Departamento de Justiça norte-americano.

Durante a investigação, as autoridades conseguiram identificar e resgatar pelo menos 23 vítimas menores, alvos de abusos sexuais por parte de alguns utilizadores do site, nos Estados Unidos, Reino Unido e Espanha. No entanto, segundo o Departamento de Justiça norte-americano, muitas das crianças presentes nos vídeos continuam por identificar.

Welcome To Video terá sido um dos primeiros sites a utilizar a criptomoeda para comercializar pornografia infantil, um sistema que permitia aos utilizadores ocultarem as suas identidades durante as transacções financeiras.

As criptomoedas eram convertidas em “pontos” que os utilizadores podiam gastar para fazer o download de vídeos ou para acederem a contas “VIP” com todos os conteúdos disponíveis. Os utilizadores recebiam também “pontos” quando disponibilizavam vídeos de pornografia infantil no site.

O site foi bloqueado em Março de 2018, mas só agora é que o resultado desta operação policial internacional é tornado público. Através deste sistema, segundo o Departamento de Justiça, a rede rendeu cerca de 370 mil dólares em bitcoins.

Embora, regra geral, não seja possível localizar sites da dark web, o gestor do Welcome To Video terá acidentalmente revelado o endereço IP do servidor, o que auxiliou as autoridades envolvidas nesta operação.