Bombeiros dão 24 horas para Protecção Civil fazer “regularização de pagamentos”

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, garantiu que socorro às populações poderá estar risco, caso pagamento às associações não se concretize.

Foto
Daniel Rocha

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) exigiu esta quinta-feira à Protecção Civil a “regularização dos pagamentos” às associações num prazo de 24 horas, sob pena de estar em causa o socorro às populações devido ao “sufoco financeiro” das corporações.

O presidente da LBP, Jaime Marta Soares, disse à Lusa, sem precisar montantes, que se trata de “milhões de euros” relativos a despesas feitas pelas associações de bombeiros em 2019 e 2018, sobretudo no combate a incêndios florestais.

“Trata-se de despesas já efectuadas, e em muitos casos também pagas, pelas associações de bombeiros e que aguardam a reposição das verbas por parte da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil”, refere a LBP numa nota à comunicação social.

Segundo Jaime Marta Soares, a não regularização dos pagamentos até sexta-feira coloca os bombeiros numa situação de “sufoco financeiro” que “pode pôr em causa o socorro em Portugal”.

Sugerir correcção