Novo pterossauro é o fóssil mais completo deste réptil na Austrália

O Ferrodraco lentoni é a terceira espécie de pterossauro encontrada na Austrália e ter-se-á extinguido mais tarde do que as espécies do mesmo género.

Fotogaleria
Reconstrução artísitca do Ferrodraco lentoni,Reconstrução artísitca do Ferrodraco lentoni Travis R. Tischler,Travis R. Tischler
Fotogaleria
Crânio do Ferrodraco lentoni Naomi Miles
,Arqueologia
Fotogaleria
Dentes do Ferrodraco lentoni Naomi Miles
Fotogaleria
Adele Pentland, a líder da investigação Naomi Miles

Uma nova espécie de pterossauro, o Ferrodraco lentoni, foi identificada na Austrália. É o primeiro pterossauro encontrado na formação geológica de Winton, no Leste australiano, e é o fóssil de pterossauro mais completo da Austrália, onde tinham sido descobertos apenas 15 exemplares até agora.

A equipa encontrou o Ferrodraco lentoni em Abril de 2017. O nome científico da espécie deriva do latim ferrum (ferro), porque estava numa rocha ferruginosa, e do latim draco (dragão). É a terceira espécie de pterossauro descoberta na Austrália. O artigo científico com a descrição do novo réptil é publicado esta quinta-feira na revista Scientific Reports.

O fóssil, com cerca de 96 milhões de anos, é constituído por cinco vértebras parciais, oito ossos dos membros, várias partes do crânio e mais de 40 dentes. “Com um total de 30 ossos, ou 10% do esqueleto do Ferrodraco, o número de ossos de pterossauro registados na Austrália triplicou”, assinala Adele Pentland, primeira autora do artigo e paleontóloga do Museu Australiano da Era dos Dinossauros, em comunicado da instituição. Os pterossauros habitaram a Terra entre o Triássico Superior e o Cretáceo Superior e já foram encontrados fósseis destes répteis em todos os continentes. Apesar disso, os esqueletos normalmente estão fragmentados e incompletos, porque os ossos destes répteis são finos e ocos, lê-se no artigo científico.

PÚBLICO -
Foto
Esqueleto do Ferrodraco lentoni Naomi Miles

Ferrodraco lentoni pertence ao género – categoria taxonómica acima da espécie e abaixo da família – Anhanguera, um grupo de pterossauros que se terá extinguido no final da idade do Cenomaniano (entre 100 e 94 milhões de anos), no começo do Cretáceo Superior. Contudo, a deposição de sedimentos na parte norte da formação de Winton – onde foi encontrado o Ferrodraco – terá ocorrido até ao início da idade do Turoniano (entre 93 e 90 milhões de anos), o que sugere que pterossauros Anhanguera – que já tinham sido reportados no Brasil, em Inglaterra e na China – viveram até mais tarde naquela parte da Austrália.

Os cientistas sabem que o Ferrodraco lentoni pertence ao género Anhanguera através das características da mandíbula, das protuberâncias na ponta de ambos os maxilares e da forma pontiaguda dos dentes. Aquilo que distingue a nova espécie dos restantes pterossauros é o aspecto do maxilar superior e o tamanho dos dentes.

A partir da medição dos ossos encontrados e da comparação com outros pterossauros Anhanguera, os cientistas calculam que a nova espécie podia atingir quatro metros de envergadura, aproximadamente. Adele Pentland comenta: “[Com esse tamanho,] o Ferrodraco terá sido um predador aéreo acutilante”.

Texto editado por Andrea Cunha Freitas

Sugerir correcção