À janela da campanha, o que vêem os portugueses?

No banco de um jardim, à janela, de férias ou a caminho do trabalho. Como olham os cidadãos para a campanha política que antecede as eleições legislativas? Que importância dão ao voto? Retratos de um país que se prepara para escolher os seus representantes na Assembleia da República.

"Acompanho mais ou menos, pela rádio. Gosto de saber em quem vou votar, quero estar informado mas só se ouve falar em Tancos. Eu quero é saber o que é que eles vão fazer nos próximos quatro anos. O passado já não interessa. Voto sempre. Quer dizer, vou lá sempre mas às vezes não voto." Arcílio, 55 anos, residente em Faro Pedro Fazeres
Fotogaleria
"Acompanho mais ou menos, pela rádio. Gosto de saber em quem vou votar, quero estar informado mas só se ouve falar em Tancos. Eu quero é saber o que é que eles vão fazer nos próximos quatro anos. O passado já não interessa. Voto sempre. Quer dizer, vou lá sempre mas às vezes não voto." Arcílio, 55 anos, residente em Faro Pedro Fazeres

A segunda semana de campanha já vai a meio e os portugueses preparam-se, no domingo, para escolher os seus representantes na Assembleia da República. De acordo com as últimas sondagens, feitas pela Universidade Católica Portuguesa para o PÚBLICO, o PS deverá vencer estas eleições, embora sem maioria absoluta.

De acordo com os dados conhecidos nesta quarta-feira, o PS alcança os 37% e o PSD chega aos 30%. Em terceiro lugar, surge o BE com 10%, seguido do PCP com 6%, do CDS com 5% e do PAN com 3%.

As mesmas sondagens apontam para que a Assembleia da República passe das actuais seis forças políticas para oito: o Iniciativa Liberal e o Livre podem conseguir assento parlamentar. Joacine Katar Moreira (Livre) e​ João Cotrim de Figueiredo (Iniciativa Liberal) podem ser eleitos através do círculo eleitoral de Lisboa.

Siga a cobertura do PÚBLICO sobre as próximas legislativas aqui, com notícias do dia, reportagens, opinião, análise e as rúbricas "Prova dos Factos" e "Explique lá melhor".

"Tenho acompanhado a campanha eleitoral porque me interesso pelas propostas e quero saber o que é que eles estão a pensar fazer. Em causa está o bom funcionamento do país e as leis que eles querem aplicar. Já sei em que vou votar." Anabela Bernardo, 54 anos, residente em Massamá
"Tenho acompanhado a campanha eleitoral porque me interesso pelas propostas e quero saber o que é que eles estão a pensar fazer. Em causa está o bom funcionamento do país e as leis que eles querem aplicar. Já sei em que vou votar." Anabela Bernardo, 54 anos, residente em Massamá Pedro Fazeres
"Tenho visto algumas declarações dos políticos, mas muito pouco. Estou de férias e tenho outras coisas em que pensar. Em França, não nos preocupamos muito com a política portuguesa, é mais importante para nós seguirmos o que se passa lá. O que se passa cá não nos afecta muito, mas temos orgulho em ser portugueses. Não vou votar porque não trouxe os papéis necessários. Se estivesse lá, votava por correspondência." António Domingos, 65 anos, emigrante em França de férias em Faro