“Vistos gold”: Cultura, ciência e empresas não atraem ninguém

PS quer criar mais um “visto gold”, para os estrangeiros que apliquem mais de 250 mil euros no sector florestal.

Foto
Desde 2012, os “vistos gold” já atraíram 4803 milhões de euros, dos quais 90% foram para o mercado imobiliário. Enric-Vives Rubio

O investimento estrangeiro em investigação científica, no património cultural ou artístico e a transferência de 350 mil euros (ou mais) para criar uma empresa e cinco postos de trabalho são as três categorias de “visto gold” que nunca tiveram qualquer adesão até Agosto deste ano (data dos últimos dados disponíveis). Ao todo, existem oito formas de conseguir uma autorização de residência para actividade de investimento (ARI, mais conhecido por “visto gold”), e o PS quer criar mais um, ligado ao sector florestal.