Dois dias com todos os fados que Alfama tem para dar

Ana Moura, Ricardo Ribeiro, Katia Guerreiro, Pedro Moutinho, Marco Rodrigues, Gisela João: estes são alguns dos nomes do Santa Casa Alfama, que volta com mais de 50 concertos em 12 palcos. Começa esta sexta-feira e dura dois dias.

Concerto de rock
Foto
Ana Moura (aqui no Caixa Ribeira, em 2016) é um dos nomes em destaque este ano NFACTOS/PEDRO GRANADEIRO

Já foi Caixa Alfama, hoje é Santa Casa Alfama. Só o fado não mudou, embora a ele se vão juntando outros géneros, por proximidade, por analogia ou apenas porque sim. Este ano, na sétima edição deste festival (a primeira foi em 2013), a organização promete mais de 50 concertos em 12 palcos, voltando alguns nomes que por ali passam desde o início e surgindo no programa outros, novos, do fado e fora dele – e, destes, há e registar este ano os concertos de João Só ou do cantor e compositor angolano Waldemar Bastos.

Tal como sucedeu em 2018, o festival concentra-se em dois dias, sexta e sábado, 27 e 28 de Setembro. As programações sobrepõem-se, como tem sido habitual (há vários horários coincidentes), cabendo a público escolher o que quer ouvir e ver, e onde. E o primeiro palco a “abrir”, no dia 27, será o Ermelinda Freitas (no Terminal de Cruzeiros de Lisboa), às 18h, com o espectáculo Clube de Fado (com Ana Maria Alves, Carlos Leitão, Cristina Madeira, Maria Emília e Sandra Correia), seguido de Um Fado ao Pôr do Sol, com o guitarrista Ângelo Freire e a Banda de Música da Força Aérea (19h). Enquanto isso, no restaurante do Museu do Fado (em O Palco do Público) ouvir-se-ão Inês Vilela e 10 fadistas amadores (19h30 e às 22h). Entre estas duas apresentações, poderá ser vista na fachada do museu (às 21h30), a primeira projecção de um vídeo mapping intitulado Fado, com a duração de 15 minutos. Repete às 22h (e no dia 28, também às mesmas horas).

Fado à janela e até ao céu

A partir das 20h, outras ofertas: no Palco Santa Casa Futuro (Sociedade Boa União), há vozes novas apresentadas por Ana Moura: Inês Pereira (20h), Beatriz Silva (20h30) e Beatriz Felizardo (21h). Quem preferir a rua, pode ouvir o já tradicional “Fado à Janela”, com os guitarristas Jorge Silva, José Manuel Rodrigues e Gilberto Silva. Será no Largo da Igreja de São Miguel (dia 27: 20h15, 21h45, 22h45; dia 28: 19h45, 20h45, 22h30).

PÚBLICO -
Foto
Ricardo Ribeiro e Katia Guerreiro actuam na noite de encerramento ADRIANO FAGUNDES / JORGE SIMÃO

Ou então, no Palco Santa Maria Maior (no Largo do Chafariz de Dentro), os fadistas Sónia Santos e Luís Capão (20h30) e, depois, Conceição Ribeiro e Jaime Dias (23h15). Pela mesma hora (20h30) a Igreja de São Miguel também recebe um espectáculo: Até Deus Gosta de Fado, de José Gonçalez, com os convidados José Cid e Maria da Nazaré.

Com o relógio a adiantar-se, a noite desdobra-se por outros palcos. E começa logo pelo principal, o Palco Santa Casa, por onde passarão Sara Correia (21h), Marco Rodrigues com Marisa Liz e Tiago Pais Dias, dos Amor Electro, por convidados (22h30) e, por fim, Ana Moura, a fechar (a partir da meia-noite). Praticamente em simultâneo, outros palcos oferecem os seus fados: nas Escadinhas de São Miguel, cantam Pedro Moutinho (22h) e, depois, Lenita Gentil (23h); no Palco Bogani (Grupo Sportivo Adicense) estão Nelson Lemos e Lino Ramos (22h), seguidos de Celeste Maria e Diogo Rocha (23h15); no Palco Amália (Auditório Abreu Advogados), Cláudia Picado, que convida Tozé Brito (22h15) e Rodrigo Costa Félix (23h30); no Palco EDP (Centro Cultural Magalhães Lima), actuarão Diana Vilarinho (22h15) e o jovem cantor e compositor João Só, que traz outras vozes: Carlos Leitão, Pedro Flores e Zé Maria Souto Moura (23h15). Por fim, na Igreja de Santo Estevão haverá uma sessão de fados intitulada O Fado Subiu ao Céu, com os fadistas do Porto Adriana Paquete, Francisco Moreira, Pedro Ferreira e Soraia Correia (22h).

PÚBLICO -
Foto
Gisela João (aqui no Brasil, em 2017) terá um concerto-surpresa SIBILA LIND

Gisela, o concerto-surpresa

No dia 28, a surpresa será Gisela João. Não porque seja a primeira vez que actue neste festival, mas porque desta vez não dizem em que palco nem a que horas vai cantar. Só quem lá for saberá, e isso serve como mais um chamariz para atrair público a Alfama.

O resto do programa, porém, tem as horas bem contadas. Começa de novo pelas 18h, no palco Ermelinda Freitas, mas desta vez com Jorge Fernando. Título: Um Fado ao Pôr do Sol. No restaurante do Museu do Fado repete-se a sessão da véspera, mas desta vez com Daniela Helena, além dos fadistas amadores (às 19h30 e 22h). Cá fora, vídeo mapping.

Ali perto, a Igreja de São Miguel recebe Miguel Ramos (20h) e Ana Sofia Varela (23h). E mais perto ainda, no Palco Santa Maria Maior (Largo do Chafariz de Dentro), estarão

André Gomes e Maura Airez (20h30) e Ana Marta e Vítor Miranda (23h15). Tudo o resto acertará passo às 21h, hora em que Ada de Castro e António Rocha marcaram encontro com o público nas Escadinhas de São Miguel; em que José Quaresma cantará na Igreja de Santo Estevão (onde, mais tarde, às 22h, estarão Cátia Garcia e Pedro Galveias); e em que o Palco Santa Casa Futuro dará a ouvir novas vozes, desta vez apresentadas por Ricardo Ribeiro: Tiago Correia (21h), Maria Passarinho (21h30) e José Geadas (22h).

PÚBLICO -
Foto
O mapa dos vários palcos, divulgado pela organização

À 21h30 começam também outros concertos: Isabelinha, no Palco Amália (que depois recebe Marco Oliveira, às 22h30); Odete Jorge e João Casanova, no Palco Bogani (depois deles virão Artur Batalha e Silvino Sardo, às 22h45); e Bruno Chaveiro no Palco EDP, que uma hora depois receberá Waldemar Bastos, num dos concertos extra-fado da noite.

Por fim, o Palco Santa Casa apresenta um Tributo a Amália Rodrigues com Tânia Oleiro, Diamantina e Gonçalo Salgueiro (21h45), seguido das actuações de mais dois nomes fortes do festival: Katia Guerreiro (23h) e Ricardo Ribeiro (0h15). A essa hora, já Gisela João terá cantado. E quem lá for já terá sabido quando e onde, nesta Alfama em festa.