Estado reclama mais de 624 mil euros a homem que terá desviado milhões de contas de farmácias

Arguido conhecido como o “Rei das Farmácias” começou a ser julgado a 10 de Setembro pelos crimes de abuso de confiança, insolvência dolosa, branqueamento de capitais e fraude fiscal. Segundo o Ministério Público, Nuno Alcântara Guerreiro desviou 63 milhões de euros de mais de 30 farmácias e usou esse dinheiro para comprar casa, carros e jóias.

Foto
Julgamento começou a 10 de Setembro de 2019. Esta terça-feira peritos da Judiciária confirmaram transferências de dinheiro avultadas. Nuno Ferreira Santos

No processo que resultou da Operação SOS Farmácias e que senta no banco dos arguidos o farmacêutico Nuno Alcântara Guerreiro, que ficou conhecido como o “Rei das Farmácias”, por ter tido sob o seu domínio cerca de 30 farmácias, o Estado reclama mais de 624 mil euros.