Furacão Humberto ganha força a caminho das Bermudas

As autoridades do território britânico emitiram um alerta para as próximas 36 horas. As escolas estão fechadas e os transportes públicos pararam.

,Ciclone tropical
Foto
Furacão Humberto perto das Bermudas Reuters/NOAA

O furacão Humberto aumentou de intensidade nas últimas horas e atingiu a categoria 3 a caminho das Bermudas, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) nesta quarta-feira.

O terceiro furacão da temporada no Atlântico, depois dos furacões Barry e Dorian, encontra-se já com ventos máximos sustentados de 185 quilómetros por hora, o que o eleva à categoria 3 na escala de Saffir-Simpson, com cinco categorias, indicou o NHC.

De acordo com as previsões, o furacão vai passar, durante a noite, cerca de 655 quilómetros a noroeste das Bermudas. Está a deslocar-se a uma velocidade de 19 quilómetros por hora.

As autoridades do território britânico emitiram um alerta para as próximas 36 horas. Nesta quarta-feira as escolas vão ficar fechadas e os transportes públicos parados.

PÚBLICO - O furacão <i>Dorian</i>, de categoria 5, passou pelas Bahamas com ventos de mais de 300 km, destruindo ou danificando mais de 13 mil casas
O furacão Dorian, de categoria 5, passou pelas Bahamas com ventos de mais de 300 km, destruindo ou danificando mais de 13 mil casas REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
PÚBLICO -
REUTERS
Fotogaleria

Além de ventos intensos que vão provocar agitação marítima, prevê-se que o furacão provoque fortes chuvas que dêem origem a cheias.

No início de Setembro, pelo menos 52 pessoas morreram quando o furacão Dorian atingiu as Bahamas, com ventos de 298 quilómetros/hora. Cerca de 1300 pessoas continuam desaparecidas.