Roy Andersson: felizmente vulnerável

Cinco anos depois do seu Leão de Ouro, Roy Andersson regressa ao concurso mais vulnerável e mais intenso. David Thewlis resgata o novo Egoyan da indistinção e Václav Marhoul mantém The Painted Bird, relato da infância junto da babárie, numa solenidade indistinta.

,Roy Andersson
Fotogaleria
"About Endlessness", do cineasta sueco Roy Andersson dr
,Filme
Fotogaleria
"About Endlessness": Andersson falava da importância que teve e tem para ele um filme como "Ladrões de Bicicleta", de Vittorio de Sica, a prova da arte como ponto de encontro entre a vulnerabilidade e a verdade dr
,Filme
Fotogaleria
"About Endlessness" dr
,Filme
Fotogaleria
"About Endlessness" dr
Fotogaleria
Em "Guest of Honour" todos estão a tentar completar um puzzle familiar dr
Fotogaleria
Thewlis é mesmo a peça determinante para resgatar "Guest of Honor" à indistinção “middle of the road” onde há anos se fixou o cinema de Atom Egoyan dr
,cinema
Fotogaleria
"The Painted Bird", de Václav Marhoul (concurso), anda, durante três horas, pela devastação, pelo território da barbárie dr
,Bienal de Veneza
Fotogaleria
"The Painted Bird": filmado em 35 mm, a preto e branco, com os seus poucos diálogos em esperanto eslavo dr
,Filme
Fotogaleria
"The Painted Bird" dr

Na aproximação, que tem sido detectada, de Atom Egoyan aos seus primeiros filmes, fase em que a sua obra permitia experiências intrigantes e suspendia o espectador numa angustiante quietude, o David Thewlis de Guest of Honor, título que o cineasta canadiano trouxe à competição de Veneza, faz-nos ter saudades do mundo e do cineasta de The Adjuster (1991).