Emma Watson propõe dois minutos de esperança num mundo sem violência contra as mulheres

Actriz publicou excertos de uma conversa com o médico congolês e prémio Nobel da Paz, Denis Mukwege.

,O circulo
Foto
Carlo Allegri/Reuters

Emma Watson está ciente de que é importante dar às pessoas um pouco de esperança. Por essa razão, a activista e embaixadora da ONU publicou na sua conta de Instagram excertos de uma conversa com o prémio Nobel da Paz Denis Mukwege sobre a violência contra as mulheres nos dias de hoje, num evento organizado pela How To Academy e pelo New York Times.

“Quem precisa de dois minutos de esperança? Provavelmente todos nós, ahah ”, escreveu Watson, compartilhando um pequeno trecho do encontro. Depois refere que a conversa na íntegra pode ser vista online e que no seu Instagram vai publicar algumas das suas partes preferidas, acrescentando que o ginecologista da República Democrática do Congo, que opera mulheres vítimas de violação, é o seu herói. 

No vídeo, Watson defende por que a sociedade não deve aceitar a violência que as mulheres ainda enfrentam em todo o mundo, olhando para a sala, a actriz constata que a maioria dos que assistem são jovens mulheres, “o que significa que quase um terço das pessoas nesta sala irá experimentar alguma forma de violência, sexual ou não, durante a sua vida”, refere. E continua: “Penso que há uma espécie de estranha aceitação que as mulheres têm de assumir como um facto da vida não se sentirem seguras.” Contudo, a actriz acredita que as mulheres não têm de o aceitar como facto consumado.

A actriz, que no início do mês colaborou no lançamento de uma linha britânica de aconselhamento jurídico para quem sofre de assédio sexual no local de trabalho, terminou com algumas palavras inspiradoras: “Acredito que há outras maneiras de ser e de viver e que merecemos, temos de exigir, temos de acreditar que é possível. Nós temos de acreditar nesse mundo, não pode ser uma utopia.”