Alexandre Soares dos Santos, “um sonhador acordado”

Dono de uma ambição tão férrea como a determinação que tinha, Alexandre Soares dos Santos era claro nos objectivos e exigente nos resultados. Lúcido, reescreveu muitas vezes os seus sonhos.

Alexandre Soares dos Santos
Foto
ENRIC VIVES-RUBIO

“Nós somos merceeiros, sabe?”, classificou-se uma vez Alexandre Soares dos Santos, a si e ao “seu” grupo Jerónimo Martins, numa apresentação de resultados aos jornalistas, no alto da torre do Campo Grande onde fica a sede da companhia. A afirmação, pronunciada por um dos homens mais ricos de Portugal – alternou anos seguidos com Américo Amorim e Belmiro de Azevedo o pódio da Forbes - era sincera. E também irónica: Alexandre Soares dos Santos, o homem que criou o maior grupo de distribuição portuguesa sabia bem em que país vivia de forma permanente desde 1968.